Relatório sobre andamento das obras das escolas da rede é entregue ao Ministério Público

A diretoria do Sindeducação protocolou na tarde de hoje, 10, no Ministério Público Estadual, relatório que consta a situação das escolas da rede municipal de ensino que estão passando por reformas e intervenções. O relatório contém as informações sobre o andamento das obras de todas as UEB’s paralisadas e sobre as escolas que voltaram a funcionar, depois de muito tempo paradas, mas que já apresentam problemas nas suas estruturas.

Durante a semana, a diretoria do Sindeducação intensificou as visitas e fiscalizou 15 escolas onde verificou a falta de material nas obras, atrasos no calendário de reformas e descumprimento de prazos, constatando que o discurso do Secretário de Educação, Moacir Feitosa, está equivocado.

“O Sindicato já mantém uma rotina de visita nas escolas da rede municipal, onde são produzidos relatórios com as condições das escolas que são encaminhados para o Ministério Público, e nesse caso, fizemos um diagnóstico bem fundamentado da real situação que se encontram as escolas da rede pública municipal de São Luís que passam por reformas. A partir dele, o Ministério Público vai ter base para analisar como andam as intervenções que estão sendo realizadas pela Secretaria Municipal de Educação de São Luís nas escolas e tomar as medidas necessárias”, disse a vice-presidente do Sindeducação.

Para a presidente do Sindeducação, professora Elisabeth Castelo Branco, esse trabalho demonstra a responsabilidade que a entidade sindical tem em busca de melhores condições de trabalho para professores e alunos.

“O Sindeducação vai continuar fiscalizando e buscando apoio no Ministério Público e demais órgãos competentes para que a nossa rede municipal de ensino possa se desenvolver. Vamos ficar atentos aos prazos estipulados pelos gestores e cobrar, com veemência, o cumprimento deles. O Sindeducação não vai descansar em busca de melhores condições de trabalho para o professor, em escolas onde se tenha, verdadeiramente, condições estruturais e pedagógicas para desenvolver o ensino-aprendizagem”, relatou a professora Elisabeth Castelo Branco.

Uma nova reunião ficou agendada para o dia 22 de maio, na sede da Promotoria de Educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *