Pais de Alunos cobram posicionamento do Ministério Público

Foto 01

O Sindeducação acompanhou, nesta manhã, alguns pais de alunos da UEB Antônio Vieira em uma visita a Promotoria Especializada da Educação. Os responsáveis solicitaram a presença da entidade sindical, que prontamente atendeu ao pedido.

Na ocasião, os pais protocolaram relatório no setor responsável do Ministério Público, explicando todos os problemas existentes na Escola como a falta de estrutura física do prédio, madeira deteriorada por cupins, queda de forro, problemas na instalação elétrica e hidráulica entre outros. Eles exigiram posicionamento do órgão público em relação a toda problemática da escola.

As aulas estão suspensas desde o dia 27 de março. A comunidade escolar decidiu paralisar as atividades após uma professora ter sido atingida por uma luminária que caiu do teto. O fato ocorreu um dia após o grave acidente na UEB Darcy Ribeiro, onde o teto de uma das salas caiu e deixou alunos e uma professora feridos.

foto 2

“Estamos lutando pelos direitos dos nossos filhos, que merecem uma escola digna para estudar. A escola necessita de uma reforma urgente, antes que algo pior aconteça. Há verba para a educação e o prefeito deve investir em melhorias na infraestrutura das escolas”, frisou Jhuly Silva, mãe de aluno.

A promotora da Educação, Luciane Bello, se comprometeu a participar da reunião com professores e pais nesta sexta-feira, 07 de abril na UEB Antônio Vieira, para tratar das problemáticas.

“Esperamos que a promotoria da Educação cumpra com a palavra e participe da reunião e também cobre da prefeitura de São Luís que assuma os deveres com a educação”, reivindicou a mãe de aluno, Cliciana Silva.

Outra cobrança apresentada pelos pais é referente à UEB João e Maria que está fechada desde o final do ano passado; o prédio ficou sem condições estruturais para funcionar, deixando os alunos da educação infantil sem espaço para estudar. O sindicato também já havia denunciado o fechamento desta escola ao MP.

O Sindeducação continuará denunciando os inúmeros problemas na rede de ensino municipal, bem como cobrando dos órgãos competentes ações efetivas em prol de melhorias na educação pública da capital. “ Desde 2013, o sindicato vem desenvolvendo um trabalho expressivo para que professores e alunos possam desenvolver o processo de ensino e aprendizagem em um espaço escolar apropriado e de qualidade. A nossa luta é árdua e vamos permanecer  firmes neste propósito”, sustentou a vice-presidente, professora Josidete Barbosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *