Na Luta: Sindeducação pressiona Câmara de Vereadores de São Luís para realizar audiência pública

Foto 1

O Sindeducação – gestão Resistir, Lutar e Avançar nas Conquistas, iniciou o dia na luta em defesa da educação. Nesta manhã, a direção sindical compareceu à sessão na Câmara Municipal de São Luís para cobrar dos vereadores uma audiência pública para tratar sobre as problemáticas do sistema educacional da capital e também requerer a instauração, imediata, de uma CPI dos recursos da educação no período de 2013 a 2016.

Com ousadia e determinação, os educadores ocuparam a galeria, expondo cartazes com palavras de ordem e pediram mais respeito aos professores e aos alunos da rede municipal de São Luís, que permanecem abandonados na atual conjuntura da educação pública. “Esta é a casa do povo e os vereadores devem trabalhar em prol de melhorias para a população. Vocês precisam conhecer a realidade das escolas da rede, verificar as péssimas estruturas dos espaços escolares, que não oferecem condições propícias para o desenvolvimento do processo pedagógico: ensino e aprendizagem. Vocês precisam sair da zona de conforto e começar a fiscalizar as escolas; cobrar a responsabilidade desta gestão municipal”, protestou a presidente do Sindeducação, Professora Elisabeth.

A líder sindical questionou aos vereadores se tinham conhecimento sobre a falta da merenda escolar, que foi suspensa desde a segunda-feira (17/04). A professora Elisabeth também expôs que o município de São Luís já recebeu mais de dois milhões de reais do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), somente neste ano.

Foto 3

Os educadores também insistiram na cobrança acerca da iminência de uma audiência pública para discutir o agravo no sistema educacional de São Luís, bem como a importância da implantação de uma CPI para investigar o gerenciamento dos recursos da referida pasta. Tais pedidos foram encaminhados no dia 27 de março à Câmara de Vereadores, mas até o momento não houve retorno do legislativo.

“Nós não vamos descansar enquanto o poder executivo não assumir compromisso sério com nossa educação, que vem se desvalendo sob a inercia e omissão do poder público. O Sindeducação permanecerá engajado neste enfrentamento a fim de mudar a realidade da categoria de professores e do ensino público municipal”, sustentou a vice-presidente do sindicato, professora Josidete Barbosa.

foto 2

O secretário Geral, professor Giorgio Lira, protocolou, novamente, as solicitações à Câmara. Na segunda-feira, a diretoria retornará ao local para cobrar um posicionamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *