UEB Henrique de La Roque Almeida: professores reclamam da nova política de Recursos Humanos da Semed

Em reunião com as professoras das séries iniciais da UEB Henrique de La Roque Almeida, localizada no Núcleo Itaqui-Bacanga, bairro da Vila Embratel, o Sindeducação acolheu as reclamações e sugestões trazidas pelos (as) docentes sobre a política de reorganização da carga horária em sala de aula, sobretudo aqueles profissionais com jornada de 40 horas semanais.

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) quer impor um regime de trabalho aos (às) professores (as) da Educação Infantil e das séries iniciais, que têm jornada de 40 horas, fundamentado no cumprimento de horas, obrigando os (as) profissionais a comparecer a escola quatro dias da semana, sendo um dia para cumprir 1 hora e 20 minutos de aula, essa organização desconsidera o caráter político e pedagógico do trabalho do (da) professor (a). Nosso trabalho não é só cumprir horário, cada momento em sala de aula não pode prescindir de várias horas de estudo, planejamento, preparação e correção de aulas, atividades e avaliações e de formação continuada. Ressaltamos que a própria Lei do Piso garante:

  • A jornada de trabalho em sala de aula deve ser de NO MÁXIMO 2/3 da carga horária (Até 13 horas e 20 min para jornada de 20 horas, Até 16 horas para jornada de 24 horas e Até 26 horas e 40 minutos, para jornada de 40 horas), isto é, a jornada máxima. Como não há nenhuma regulamentação em São Luís sobre a jornada mínima, não há que se falar de horas “devidas” pelo professor.

Essa proposta, inclusive, contraria as teorias pedagógicas e conhecimentos consolidados das ciências cognitivas e da psicologia da aprendizagem que revelam a importância da continuidade e qualidade do vínculo entre professores e estudantes para a efetividade do processo ensino-aprendizagem, principalmente no contexto da alfabetização. Consideramos que, além de constituir um transtorno para a vida do professor, o desenvolvimento de atividades com alunos da educação infantil e dos anos iniciais neste período de uma hora e 20 minutos não resultará em benefícios para rede de ensino.

Dialogamos com os (as) professores (as) da UEB Henrique de La Roque Almeida que, utilizando-se na prerrogativa da autonomia da escola, a equipe constituiria uma proposta de organização da carga horária dos professores, assegurando o cumprimento da carga horária de cada profissional, e respeitando o projeto político e pedagógico da escola, acrescentando a preocupação com o déficit de aprendizagem acumulado durante o período da pandemia.

PARTICIPE DA ASSEMBLEIA DESSA TERÇA-FEIRA, 28 DE JUNHO

O processo de mapeamento e reorganização da carga horária dos professores da rede que está sendo realizado pela Semed será uma das pautas da Assembleia desta terça-feira, 28 de junho, a partir das 17 horas, no Hotel Abville. Será discutido também informes gerais; Calendário de Reposição dos Dias Letivos da Greve; Precatórios do Fundef e o  Lançamento do Projeto dos 50 anos do Sindeducação.

Professor (a) fique atento! Exija seus direitos, é preciso defender o trabalho docente e a nossa carreira. O direito ao terço de hora atividade está sendo ameaçado e a qualidade de ensino ainda mais comprometida. Qualquer dúvida e orientação, procure o Sindeducação.

Participe da Assembleia!

_______________

IMPRENSA SINDEDUCAÇÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *