Sindeducação visita a UEB José de Ribamar Bogéa, na Cidade Olímpica

A diretoria do Sindeducação esteve na manhã desta terça-feira, 14, conversando com as professoras da UEB José de Ribamar Bogéa Anexo 1, localizada no bairro da Cidade Olímpica.

A UEB, que atende alunos do Ensino Fundamental 1 e 2, é uma das unidades que passam por requalificação e já está prevista para retornar na próxima semana.

O prédio, alugado há aproximadamente 15 anos, de acordo com as profissionais já foi condenado pela Defesa Civil por ter uma infraestrutura totalmente precária. A reforma do espaço foi iniciada na gestão de João Castelo, continuada na de Edivaldo Holanda Júnior, interrompida durante a pandemia da covid-19 e retomada em 2 de setembro deste ano pela atual administração do prefeito Eduardo Braide.

Diretoras do Sindeducação em conversa com as professoras da UEB José de Ribamar Bogéa

As professoras reclamaram à diretoria do Sindeducação que a reforma, apesar de ser bem-vinda, não traz a devida segurança para a saúde de toda a comunidade escolar, pois desrespeita o distanciamento mínimo recomendado pelas autoridades de saúde, já que as salas de aulas da escola são extremamente pequenas e abafadas -uma delas, por exemplo, mede 3,64X3,71 e só pode comportar no máximo 6 crianças.

No encontro, as professoras se queixaram, ainda, da forma como a Semed está conduzindo o retorno da unidade, sem apresentar o protocolo de segurança, sem levar em consideração as comorbidades dos profissionais e sem dialogar de forma conjunta com as pessoas que estão no chão da escola. Para elas, seria necessário que os representantes da secretaria passassem ao menos um dia na unidade para ‘sentirem na pele’ a experiência de trabalhar em ambiente extremamente abafado. O Sindeducação constatou na visita que o mobiliário enviado pela Prefeitura de São Luís, como cadeiras e mesas, não são destinadas para crianças do Ensino Fundamental e, sim, para as da Educação Infantil.
.
O atropelo das demandas é outro ponto que as profissionais questionam. Elas exemplificaram a pressão que a pasta deu para que a escola comunicasse pais e responsáveis sobre a testagem de covid ainda nesta semana, sem saber ao certo se as obras serão concluídas até sexta-feira, 17 de setembro.

Após a chegada do Sindeducação na unidade foi acordado com as professores e direção da UEB, que estava remotamente participando via plataforma Zoom, uma próxima reunião para que o sindicato acompanhe todas as reivindicações da categoria e que ela não acate as decisões unilaterais impostas pela Semed.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *