Sindeducação promove eleição de delegados sindicais nas escolas

delegados

O Sindeducação iniciou essa semana a escolha dos Delegados Sindicais nas escolas da rede municipal de São Luís. A ação faz parte do Projeto Representante Delegado Sindical, desenvolvido pelo Sindeducação e que tem o objetivo de aproximar os profissionais do magistério e o sindicato, escolhendo através de eleição, um representante em cada unidade de ensino. O delegado muito poderá fazer no esclarecimento, na formação, na organização e mobilização da categoria em seu local de trabalho.

O projeto é uma prioridade da gestão Resistir, Lutar e Avançar nas Conquistas e foi bandeira de campanha e vai trazer para dentro do Sindicato debate, discussões e decisão mais específicas para os professores e a categoria. A importância do projeto tem como base a análise histórica das atividades do Sindeducação, onde muitos profissionais do magistério desconhecem as lutas e as ações da entidade, o que dificulta o envolvimento da categoria nos movimentos sindicais.

“Com a escolha do delegado sindical vamos ter um porta voz na escola, onde a comunicação com os profissionais da educação vai ser mais rápida e eficaz. Através dele, vamos promover debates, saber dos problemas e necessidades das escolas e poder agir e dar respostas mais satisfatórias para a nossa categoria”, defendeu a professora Elisabeth Castelo Branco, presidente do Sindeducação.

Eleição

foto 03

Para se candidatar ao cargo de delegado sindical o professor tem que estar filiado ao Sindeducação. A eleição acontece entre os profissionais do magistério da escola por indicação ou por votação nas cédulas de eleição, onde são escolhidos um delegado e um suplente por turno.

Realizada a eleição, os representantes eleitos devem preencher o cadastro de identificação e os demais participantes devem assinar a ata de eleição. A entrega da ata com as assinaturas é obrigatória.

Não é proibida a reeleição, mas os que não cumpriram seu papel podem e devem ser substituídos.

Funções do delegado

foto 01

Para ser o elo entre sindicato e profissionais o delgado sindical tem que estar envolvido na luta sindical e almejar sempre melhorias para a categoria. O representante é um profissional diferenciado que tem postura crítica aos problemas enfrentado pelo professor no chão da escola e posicionamento em relação a essa problemática. E em meio a tanto descaso da Prefeitura de São Luís com a Educação da nossa capital, onde os problemas de infraestrutura são pungentes e a desvalorização dos profissionais do magistério são constantes, a figura do delegado sindical se torna imprescindível.

Cabe ao delegado sindical representar os profissionais de educação perante a direção ou chefia imediata em seu local de trabalho, garantir que todos os problemas e reivindicações sejam discutidos e encaminhados à direção da entidade sindical, comunicar a direção do sindicato sobre todas as ilegalidades, irregularidades ou arbitrariedades cometidas pela autoridade local contra os profissionais de educação, encaminhar ao sindicato as propostas e reivindicações dos colegas, participar das reuniões e atividades desenvolvidas pela entidade, promover e organizar as atividades e campanhas do sindicato no local de trabalho, manter os profissionais de educação, informados sobre os encaminhamentos, atividades e campanhas os envolvendo em todas as lutas por reivindicações e direitos e cumprir e fazer cumprir as deliberações das instâncias do sindicato.

Encontros

O Sindeducação irá realizar reuniões bimestrais dos representantes sindicais. Nestes encontros são apresentados propostas e encaminhamentos que serão submetidos a Diretoria e à Assembleia Geral. É necessário que o delegado sindical realize reunião com os demais professores no local de trabalho antes e depois das reuniões e assembleias do sindicato.

Para a professora Orfisa Surama, segunda secretária do Sindeducação a recepção e adesão a proposta do sindicato está sendo muito satisfatória.

“Estamos nas escolas conversando com os professores e esclarecendo a importância dos delegados sindicais e a categoria está entendendo e se envolvendo com a proposta, principalmente na atual conjuntura que se encontra a educação de São Luís”, disse a professora.

Para a presidente do Sindeducação, Elisabeth Castelo Branco, o sindicato agora inicia um novo momento da gestão. “ Estamos começando um novo momento da nossa gestão onde passamos por um momento muito complexo da educação de São Luís com o sucateamento e as péssimas condições das escolas da rede e a completa desvalorização dos profissionais do magistério com a negação de direitos garantidos por lei, como o caso do não reajuste da categoria. Precisamos estar unidos e coesos para lutarmos e defendermos os nossos direitos e o Sindeducação está desenvolvendo meios de aglutinação e coesão da categoria. Precisamos que todos entendam a importância desse processo e a responsabilidade da participação” finalizou a presidente.

1 comentário

  • Maria disse:

    O problema é que alguns professores que foram agraciados com dobras na carga horária vão querer se indispor com a diretora da escola ou com a Semed. Aproveito para saber o que aconteceu com a eleição para diretores de escolas não se ouviu falar mais, tem diretor no cargo há décadas isso é ruim para a educação, onde trabalho as diretora mando deixar o portão sempre fechado na chave para evitar a imprensa porque
    uma professora que levou a TV Mirante e a Semed ao que parece não gostou e deu bronca na gestora que por sua vez se irritou com a professora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *