Sindeducação participou do ato #24J Fora Bolsonaro

Vice-presidente do Sindeducação, Ester Durans no ato #24J

Pela quarta vez, em menos de 2 meses, a diretoria do Sindeducação foi às ruas, para participar do ato Fora Bolsonaro. Em São Luís, o #24J iniciou às 9h na Praça Deodoro, no Centro, seguiu pela Rua Rio Branco, pela Praça Maria Aragão e encerrou no Terminal da Praia Grande ao meio dia.

O protesto, que ocorre em todo o Brasil e é realizado por partidos políticos, centrais sindicais, movimentos estudantis e organizações da sociedade civil, ganhou mais capilaridade, evidenciada pelo aumento das cidades participantes. De acordo com os realizadores da iniciativa, 509 protestos foram feitos no país, reunindo cerca de 600 mil pessoas que gritam pelo impeachment de Jair Bolsonaro e seu vice, Mourão, pedem a aceleração da vacinação, a volta do auxílio emergencial de R$ 600 e o fim da Reforma Administrativa. No exterior pelo menos 35 cidades registraram a mobilização.

Manifestantes no ato #24 na Praça Maria Aragão

O ato Fora Bolsonaro responsabiliza o presidente do país pelos altos índices de desemprego, pela fome, pelo aumento da miséria, pelos cortes nas área da educação, pela destruição da democracia s e, claro, pela morte de mais de 550 mil pessoas.

A vice-presidente do Sindeducação, Ester Durans e a secretária de Comunicação, Ana Paula Martins, ao subirem no caminhão de som, para discursarem, defenderam os direitos da categoria de professores, que luta constantemente contra os ataques à educação e precarização – evidenciada durante a pandemia da covid-19 – das condições de trabalho.

A secretária de Comunicação do Sindeducação, Ana Paula Martins discursa no #24J

“Nós sabemos a importância das escolas públicas para a classe trabalhadora, mas não vamos aceitar que os filhos desses trabalhadores retornem para as aulas presenciais sem condições mínimas de segurança sanitária. Não vamos poupar esforços na defesa intransigente de uma educação pública, gratuita e de qualidade”, declarou Ester Durans.

Em discurso, Ester Durans falou dos constantes ataques do governo Bolsonaro contra a área da educação.

 

IMPRENSA SINDEDUCAÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *