Sindeducação e Semed continuam com as tratativas sobre o Calendário Escolar 2021

Na manhã desta quarta-feira, 17 de fevereiro, a diretoria do Sindeducação foi recebida pelo secretário adjunto de Ensino, Ednan Baldez. Durante o encontro, a Semed apresentou as propostas preliminares para a efetivação do ensino remoto em 2021 e considerou essencial ouvir as contribuições da entidade sindical para a elaboração do plano de reorganização. Representaram o Sindeducação na reunião, a presidente Sheila Bordalo, a vice-presidente, Ester Durans, a secretária de Mobilização Sindical, Adriana Costa e a secretária de Comunicação, Ana Paula Martins.

A Semed apresentou algumas ações já implantadas, como a parceria com a empresa Google com o uso da plataforma “Google For Education” destinada para interação de alunos e professores durante o desenvolvimento de atividades escolares. A Semed informou que, no momento, já realizou o cadastro de professores e escolas para o uso dessa ferramenta on-line e aguarda finalizar o período de matriculas e rematrículas na rede municipal para inserir os alunos.

Na oportunidade, a presidente do Sindeducação, professora Sheila Bordalo ressaltou que, entre as maiores preocupações do sindicato, perante o cenário epidemiológico atual, é que a Prefeitura de São Luís leve em consideração as inúmeras situações enfrentadas pelos educadores na adaptação do ensino remoto emergencial ao longo do ano passado. A dirigente sindical declarou temer que a falta de acesso dos alunos da rede municipal aos meios tecnológicos continue gerando uma exclusão à educação pública de qualidade e que há muitas dificuldades a serem vencidas, pois é fato que o ensino remoto requer condições estruturais, envolvimento e dinâmicas de estudos que a escola, pais e alunos ainda não estão acostumados.

“Os professores lidam com os problemas dos alunos, se preocupam com o conteúdo educativo e ainda precisam estudar e entender as plataformas digitais, muitos, por mais que se esforcem ainda não estão bem preparados e não há tempo para tantas tarefas e nem garantias de valorização. Nós precisamos de um plano muito bem articulado que assegure condições ideais de aprendizagem. Além disso, nós temos escolas em situações precárias, então é extremamente urgente que tenhamos adequadas condições higiênico-sanitárias em toda a rede de ensino”, pontuou.

Na reunião, a Semed informou que estuda, ainda com a Fundação Lemann a oferta de conteúdos educacionais por meio do Canal Futura e da Rede Vida, o que seria mais uma alternativa encontrada para atingir mais alunos, outro ponto colocado foi a possibilidade de entrega de material didático impresso com orientações pedagógicas aos estudantes e seus pais ou responsáveis uma vez por semana nas escolas. Em relação à Educação Especial, a secretaria declarou que, para o ensino remoto, pretende instalar no ambiente virtual 11 projetos que já mantinha. O objetivo, em um primeiro momento, é restabelecer o contato com os alunos e suas famílias e que ofertará uma formação especifica de 200 horas para professores e comunidade escolar.

Nesta reunião, a secretária de Comunicação do Sindeducação, Ana Paula Martins, declarou que o sindicato considera inviável a possibilidade da entrega de material de forma presencial nas UEBs, diante da gravidade do aumento de casos de covid-19 em São Luís e enfatizou que a Prefeitura de São Luís precisa colocar os professores na lista de profissionais que devem ter prioridade para a vacinação. “Nós pedimos urgência, já foram muitas vidas perdidas e há muitos profissionais de grupos de risco que vão precisar voltar para que as escolas funcionem plenamente. A educação é um serviço essencial para a sociedade e temos que mostrar isso com a priorização da vacina”, observou.  O secretário Ednan Baldez informou que o administração municipal já estuda a possibilidade e que no momento está vendo condições legais e jurídicas para este processo.

Por fim, o Sindeducação pediu que a Semed faça o encaminhamento oficialmente do documento com as propostas iniciais apresentadas nesta reunião para poder discuti-las com a categoria – todos os pontos serão apresentados na Assembleia Extraordinária Virtual que acontecerá na terça-feira, 22. Somente após a reunião com os professores, o sindicato fará o seu parecer técnico e pedagógico de tal documento.

 

______________

IMPRENSA SINDEDUCAÇÃO

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *