Sindeducação e Semed avançam para instalação da Mesa de Negociação Permanente 2021

Na reunião realizada na tarde de terça-feira, 13 de julho, a diretoria do Sindeducação, representada pelas professoras Sheila Bordalo, Ester Durans, Rose Costa, Ana Paula Martins e mais dois representantes da categoria, membros da Mesa de Negociação 2021, a professora Talita Everton e professor Leonel Torres, reuniram-se com o secretário de educação do município, Marco Moura e sua equipe para discutirem diversas demandas.

A abertura oficial da Mesa de Negociação foi o principal ponto debatido no encontro. As dirigentes do Sindeducação cobraram a discussão sistemática da pauta de reivindicações, protocolada em fevereiro para a Semed, em que constam a Revisão Salarial, o Pagamento dos Direitos Estatutários, a Reforma das Escolas, entre tantas outras demandas.

Nesta reunião, a assessoria jurídica da Semed declarou que o pagamento dos Direitos Estatutários, que está pendente, ainda passa por um estudo jurídico e de impacto orçamentário-financeiro da gestão do atual prefeito para que sejam efetuados aos professores. O secretário mencionou ainda, que a Prefeitura de São Luís “tem a intenção” de fazer a revisão salarial da categoria, que leva em consideração que há quase 5 anos os professores estão sem reajuste, mas que também fará estudo para ver o que será possível de realização.

Outra resposta dada pela pasta aos dirigentes do sindicato quando trataram sobre a Ampliação da Jornada de Trabalho, é que segundo o secretário, há um estudo em curso pela gestão para que haja um processo que contemple todos os casos dos professores que se encontram em situação de acúmulo de cargos. A diretoria do Sindeducação reforçou aos presentes da necessidade dessas pautas serem trabalhadas com celeridade, por isso a importância para que tão logo a Prefeitura de São Luís abra o diálogo na Mesa de Negociação e venha dar respostas às demandas históricas da categoria.

Sobre a reforma das escolas, a diretoria do Sindeducação solicitou que a pasta envie ao sindicato um relatório preliminar, diante da ausência de informações precisas, a fim de conhecimento do planejamento inicial, quais os critérios utilizados para a organização dos espaços escolares da Semed que apenas declarou que está em fase de finalização do cronograma, sem dar mais detalhes deste processo.

A diretoria do Sindeducação cobrou um planejamento macro do órgão no que tange à reabertura das escolas para as aulas presenciais, entendendo que é um assunto de extrema delicadeza para a comunidade escolar, reforçando que é preciso garantir condições infraestruturais e pedagógicas em todas as 261 escolas da rede, declarando que a entidade enxerga com muita preocupação o possível retorno.  Sendo assim, essa pauta será debatida e avaliada com toda a categoria para a tomada de decisão em Assembleia Extraordinária Geral promovida no mês de agosto (em breve mais informações).

A direção Da unidade vai nascer a novidade desde a sua posse tem tido a postura de diálogo e atuado incisivamente para garantir os direitos dos professores. Já estamos aguardando há seis meses, é inadmissível seguir sem instalação da Mesa de Negociação, sem respostas objetivas sobre a revisão salarial e sem o pagamento dos direitos estatutários.  Do mesmo modo, não aceitaremos que nenhuma escola retorne atividades presenciais sem as condições necessárias de segurança sanitária.

Reforçamos, ainda, a exigência de que os alunos recebam kits tecnológicos para acompanhamento das aulas remotas e os professores não sejam sobrecarregados com o ensino híbrido.  A diretoria está vigilante e realizará o debate necessário com a categoria.

 

____

IMPRENSA SINDEDUCAÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *