Sindeducação cobra da Semed documento oficial sobre a proposta do Calendário Escolar 2020/2021

Sindicato também enviou as recomendações da categoria que foram discutidas em última plenária

Com o objetivo de construir de forma coletiva a transição dos Calendários Escolares 2020/2021 na rede pública municipal, em defesa da vida, proteção e respeito aos profissionais da Educação e da comunidade escolar, a direção do Sindeducação enviou à Secretaria Municipal de Educação (Semed) ofício solicitando documento final da proposta de finalização do ano letivo de 2020 e planejamento para 2021 com os pareceres do Conselho Municipal Educação e da Promotoria de Educação.

 

De acordo com a presidente do Sindeducação, Sheila Bordalo, o sindicato irá cobrar as condições estruturais e pedagógicas necessárias aos professores e estudantes para a continuidade das aulas remotas ainda no primeiro semestre deste ano, bem como do ensino-híbrido previsto para o segundo semestre. Assim, juntamente com ofício remetido à Semed, o sindicato anexou documento com uma série de recomendações feitas por aproximadamente 200 docentes em plenária realizada no último dia 26 de janeiro que tratou exclusivamente sobre o tema. “Foram contribuições muito valiosas, vamos exigir para que sejam cumpridas pela Semed, nós estamos pleiteando prazos, condições de organização, condições dignas de trabalho, suporte pedagógico, regulamentação de carga horária, entrega de materiais tecnológicos e realização de cursos de formação tecnológica dentro do prazo, campanha específica de vacinação contra a covid-19 para os profissionais da Educação, considerando o calendário oficial; segurança sanitária nas escolas para o retorno das aulas, acompanhamento de representantes do sindicato na Comissão de Reformas e Melhoria da infraestrutura física e tecnológica das escolas; entre outras questões que são extremamente importantes. O calendário proposto pela secretaria indica a finalização do ano letivo de 2020 em 5 de fevereiro e início do ano letivo de 2021, em 1 º de março, ou seja, é preciso celeridade em relação às orientações, os professores precisam se organizar para as atividades de fechamento do calendário escolar em menos de 10 dias”, declarou a presidente.

Para o Sindeducação,  a Semed deve levar em consideração todas as dificuldades encontradas em 2020 com a adoção do ensino remoto na rede municipal, onde todo o custeio de produção de conteúdo pedagógico, veiculação e interação ficou sob responsabilidade do professor, sendo assim, neste momento, é essencial que a secretaria ofereça a contrapartida do Município de São Luís, enviando o documento ao sindicato com a proposta oficial do Calendário Escolar 2020/2021 e considerando o que está proposto no documento elaborado pelo sindicato a partir das contribuições realizadas pelos professores que participaram da plenária.

É necessário um planejamento participativo e a definição de objetivos e ações que resolvam os problemas de acesso dos estudantes e professores, bem como garantam o processo de ensino-aprendizagem da melhor maneira possível.  A Semed deve ouvir e construir esse planejamento junto com toda a comunidade escolar.

 

Para ter acesso ao documento emitido à Semed, clique (aqui)

________

IMPRENSA SINDEDUCAÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *