Sindeducação acompanha vistoria do MP-MA na UEB CIEP Albérico Silva

O Sindeducação, na manhã desta quinta-feira, 3 de março, esteve na UEB CIEP Albérico Silva, no bairro da Alemanha, acompanhando uma vistoria realizada pelo promotor Lindonjonson Gonçalves de Sousa, da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Educação de São Luís. Nesta visita, o próprio promotor solicitou a presença do sindicato, pois a entidade vem realizando há mais de um ano um trabalho conjunto com o órgão visando comprometimento da Prefeitura de São Luís, em garantir que os espaços escolares ofereçam condições seguras para todos neste período em que a rede pública municipal retoma com as aulas presenciais. A diretoria do Sindeducação foi representada pela vice-presidente Ester Durans, a 1ª secretária Geral, Rose Costa e o secretário de Esporte, Cultura e Lazer, João Luís Silva.

Professores denunciaram problemas no forro da escola e a falta de ventilação nas salas de aula.

Em quase uma hora visitando as dependências da escola, os diretores do Sindeducação ouviram inúmeras denúncias dos professores da UEB CIEP Albérico Silva. A escola recebeu pequenas intervenções antes de início das aulas no dia 22 de fevereiro, entre elas troca de lâmpadas, de ventiladores, pequenos ajustes nos banheiros e apenas pinturas nas grades que ficam na porta de entrada do espaço escolar. As intervenções mais necessárias e urgentes, principalmente neste período pandêmico, ainda não foram executadas, como colocação de forros, troca do piso e janelas para melhor circulação do ar, limpeza da caixa dágua e cisterna. No refeitório, por exemplo, o mobiliário está completamente enferrujado, não há pias para as crianças lavarem as mãos; na cozinha , quando chove, a água volta pela tubulação, transbordando pelo ralo.

Escola recebeu apenas pequenos reparos.
Não foi feita a troca de piso no refeitório, que está sem pia para crianças lavarem as mãos e com imobiliário todo enferrujado.

Ao Sindeducação e ao promotor Lindonjonson Gonçalves de Sousa, as professoras relataram que já chamaram a Vigilância Sanitária para fazer análise de potabilidade da água da escola – visivelmente imprópria para o consumo, devido às más condições do sistema hidráulico e falta de higienização das caixas d’água e cisterna –, mas, até o momento, o órgão não entregou nenhum relatório e, por conta disso, devido a impossibilidade de usar a água da torneira, a gestão da UEB solicitou à Secretaria Municipal de Educação (Semed), o envio de lanches industrializados e galões de água mineral.

Ralo da cozinha transborda quando chove.

Ao final da vistoria, o promotor Lindojonson Gonçalves de Sousa declarou que já notificou a Vigilância Sanitária a respeito da realização da análise da água, cobrando apresentação do relatório e que notificará a Prefeitura de São Luís para que resolva as irregularidades estruturais nesta UEB dando um prazo de 10 dias para que o Município se manifeste. 

Promotor Lindonjonson Gonçalves de Sousa informou ao Sindeducação e aos professores que notificará a Prefeitura de São Luís.

_____________

IMPRENSA SINDEDUCAÇÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *