RESISTÊNCIA l Trabalhadores se mobilizam nesta terça (11) contra extinção do Ministério do Trabalho

Mobilização reunirá diversas entidades sindicais em um ato nacional

Entidades sindicais de todo o Brasil estão se mobilizando em um grande ato nacional marcado para esta terça-feira, dia 11, contra o fim do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), anunciado pelo presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro (PSL). Em São Luís, a atividade acontecerá a partir das 9h em frente a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), no bairro Cohab, alertando a sociedade sobre as consequências com o fim desse ministério, principalmente para a classe trabalhadora, com o sucateamento das fiscalizações e direitos ameaçados.

O Sindeducação integra essa grande mobilização, por entender que o fim do MTE, criado há 88 anos pelo então presidente Getúlio Vargas, representa enorme retrocesso e perda de conquistas históricas. “A extinção do MTE representa um passo acelerado rumo ao retrocesso, nos desenha um futuro incerto e cria as condições para a instalação um regime antidemocrático. Por essa razão, convocamos todos os professores a se fazerem presentes em mais essa luta contra retirada de direitos”, conclamou a presidente do sindicato, profa. Elisabeth Castelo Branco.

MOBILIZAÇÃO – Na última sexta-feira, dia 7, entidades e centrais sindicais se reuniram na sede regional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), no centro de São Luís, para discutir as atividades que serão realizadas durante o grande ato público desta terça-feira, dia 11.

Representantes de entidades sindicais se reúnem para discutir ações para esta terça-feira

Durante a reunião, o Sindeducação foi representado pelas professoras diretoras Nathália Karoline dos Santos e Bernadete Silva. Estiveram presentes ainda representantes da Força Sindical, CSP / Conlutas, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Maranhão (Sinproesemma) e do Movimento Sem Terra (MST).

“É importante a mobilização para o fortalecimento do movimento sindical em prol da garantia dos direitos da classe. Os professores também estão sendo retaliados e alvos de perseguições, o que justifica ainda mais a importância da união neste momento de perda de direitos”, destacou a professora. Ela também lembrou que no dia 13 de dezembro está agenda a audiência pública a partir das 15h no auditório da Fiema, em que novamente serão discutidos os ataques aos educadores.

A mesma opinião foi compartilhada por Joel Nascimento, presidente da CTB no Maranhão. “Precisamos retomar as mobilizações para reverter essa situação. Vivemos em um momento difícil e precisamos alertar todos sobre as consequências da perda de direitos dos trabalhadores com o fim do Ministério do Trabalho”, afirmou.

FIM DO MTE –   A extinção do Ministério do Trabalho representa enorme retrocesso político que resultará em grandes prejuízos aos trabalhadores da ativa, aos aposentados e aos pensionistas. O fim da pasta vai de encontro a vários artigos da Constituição e Convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que já foram ratificadas pelo Brasil.

É importante que o país tenha um Ministério do Trabalho técnico, forte, parceiro e protagonista na luta contra a recessão e pela retomada do crescimento econômico do Brasil, com respeito aos direitos sociais, previdenciários e trabalhistas da classe trabalhadora, geração de empregos, distribuição de renda e inclusão social.

Com o fim do ministério, as relações trabalhistas irão se fragilizar, o que poderá ocasionar em abusos por parte do empregador. Dessa forma, o trabalhador será ainda mais penalizado e muitas vezes terá de se sujeitar a precárias condições de emprego. Por essa razão faz-se necessária a mobilização desta terça-feira, com o intuito de fortalecer as entidades sindicais na defesa da classe trabalhadora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *