REPÚDIO | Moacir Feitosa amplia jornada de 22 professores sem dialogar com o sindicato


Direção do Sindeducação repudia Decreto publicado no último dia 2 de Outubro, no Diário Oficial do Município, em que o Prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, concede ampliação de jornada a 22 professores, sem que a Secretaria de Educação tenha dialogado com o sindicato. O Sindeducação lamenta a atitude do titular da Educação Municipal, Moacir Feitosa, e considera que o mesmo deixou de observar os critérios da impessoalidade, transparência e necessidade das escolas municipais.

A presidente do Sindeducação, professora Elisabeth Castelo Branco, se pronunciou sobre o caso e lamentou a atitude do secretário, que segundo ela, deixou de dialogar com o sindicato, de observar lançamento e divulgação do Edital apontando o número de vagas e os locais de necessidade de professores para lotação na Rede, prometido por ele mesmo logo quando assumiu a secretaria.

Existe um deficit de professores na Rede Municipal, mas que pode e deve ser suprido pelos professores aprovados no último Concurso Público, que aguardam vários anos pela convocação”, lembra a sindicalista.

Segundo a entidade sindical, várias escolas que estão sem professor, a exemplo das UEB´s Rosa de Saron, que está há seis meses sem professor de 1º Ano; São Raimundo; Henrique de La Roque; Proteção de Jesus; Dom Delgado; Emir Justino e muitas outras.

“É irrazoável que a SEMED faça ampliação de jornada, de forma unilateral, de professores que não sabemos onde estão e/ou atuarão, ou mesmo se estão em atividade administrativa na SEMED, enquanto milhares e milhares de alunos estão sem professores em razão da extrema carência de profissionais em sala”, avalia.

Lista publicada no Diário Oficial do dia 2 de Outubro.

A entidade sindical vai oficiar a secretaria para que informe sobre a motivação da ampliação, e o local de lotação desses 22 professores, que segundo informações preliminares, possuem apenas uma matrícula.

O sindicato, dentro da Mesa de Negociação com o SEMED, nomeou algumas prioridades, e a categoria aprovou, no último dia 26, em Assembleia Geral, a minuta proposta pela SEMED para ampliação da jornada, nesse momento, para os professores que possuem dois vínculos com o Município de São Luís, como forma de resolver a questão do acúmulo de cargos e evitar o que foi denominado de “caos na Rede”.

Com a atitude, o secretário de Educação deixa a categoria com um pé atrás, com a sensação de que a SEMED não respeita a Mesa de Negociação com os trabalhadores. Queremos saber a motivação dessa ampliação; onde atuam ou vão atuar, pois cerca de 95% das escolas da Rede Municipal necessitam de professores em várias disciplinas”, aponta a professora Elisabeth Castelo Branco.

IRRAZOÁVEL – O Sindeducação entende que a secretaria possui autonomia administrativa para encaminhar medidas que entenda necessárias para o bom andamento dos serviços, mas considera irrazoável a ampliação de Jornada, sem critérios definidos, transparência e diálogo com o sindicato.

Imprensa Sindeducação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *