Professores e professoras da rede pública municipal farão ato em frente à Prefeitura de São Luís

Há mais de 5 anos sem reajuste salarial e quase dois anos de atraso no pagamento dos Direitos Estatutários, os professores e professoras de São Luís não aguentam mais tanto arrocho, pois o custo de vida aumentou significativamente, com elevação dos preços do gás, do combustível, das tarifas de água e energia, IPTU, IPVA, etc e seus salários permanecem congelados.

Eduardo Braide, quando deputado e nas eleições de 2020, dialogava com a categoria e garantiu que iria defender os direitos dos professores e professoras no que tange aos PRECATÓRIOS DO FUNDEF, à AMPLIÇÃO DA JORNADA DE PROFESSSORES COM ACÚMULO e ao REAJUSTE SALARIAL. Com quase 11 meses do seu mandato, o prefeito não recebeu o sindicato uma única vez para abrir oficialmente a Mesa de Negociação, apesar de todo os esforços da direção do Sindeducação em dialogar e propor soluções para situação.

Diante da situação que é muito GRAVE, os professores e professoras da rede pública municipal vão paralisar no dia 24 de novembro de 2021.

é PELA ABERTURA DA MESA DE NEGOCIAÇÃO 2021. Reajuste, já!

Professores da rede pública municipal irão para o sexto ano consecutivo sem reajuste salarial e o prefeito Eduardo Braide, até o momento, recusa-se a abrir a Mesa de Negociação 2021 e discutir com o sindicato e a categoria esta pauta financeira. O percentual aprovado em Assembleia Geral Extraordinária para este ano, de Revisão Salarial, foi de 16,43%, já, para 2022, a categoria aprovou a sugestão de 21% a partir de um Projeto de Lei, remetido à Câmara Municipal, para garantir reajuste salarial já nos primeiros meses de 2022.

é pelo pagamento dos direitos estatutários de 2020 e 2021

Professores (as) já deram entrada em todas as documentações, porém nem a Semed e nem a Semgov conseguem resolver o pagamento dos Direitos Estatutários de 2020 e 2021 (Progressões, Difícil Acesso e Titulações).

CHEGA DE ASSÉDIO MORAL!

A nova política de gestão de pessoas do Recursos Humanos da Semed tem gerado descontentamento da categoria e muitas situações que se configuram como assédio moral. Precisamos dar um basta! Professores precisam ser respeitados!

PELO RETORNO PRESENCIAL SEGURO PARA TODOS, GARANTIAS DE ACESSO DOS ALUNOS E ALUNAS AO ENSINO REMOTO E REGULARIZAÇÃO DAS ENTREGAS DOS KITS DE ALIMENTAÇÃO.

Há falta de diálogo e falta de organização da Prefeitura de São Luís em relação à retomada das aulas nas escolas da rede. Precisamos que a Prefeitura apresente um cronograma oficial das escolas que terão retorno e garanta o cumprimento de todos os protocolos sanitários exigidos pelos órgãos competentes. Mais de 85% dos alunos da rede estão sendo prejudicados diariamente por conta dessa desorganização. A Prefeitura de São Luís também não apresentou nenhuma solução para que os alunos da rede tenham acesso ao ensino remoto, pois nunca entregou nem chips e nem tablets, como havia prometido no início da gestão do prefeito Eduardo Braide.

Uma problemática que precisa de uma ação imediata é a entrega dos kits de alimentação para todos os alunos da rede pública municipal e não de um kit por família, como vem sendo feito pela atual gestão.

É hora da categoria mostrar sua força e indignação, construir a paralisação, dialogando com cada colega de trabalho e também com os pais e mães de alunos explicando que para ter uma educação de qualidade é preciso exigir mais investimentos na educação: na construção de escolas, em tecnologia, na formação dos professores e na permanência dos alunos e alunas.

Somente com unidade e luta poderemos avançar para uma sociedade mais justa em que as crianças e jovens da educação municipal possam ter seu direito à educação assegurado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *