Prepara Greve Geral: Sindeducação mobiliza comunidade da Cidade Operária

IMG_7123

O Sindeducação – gestão Resistir, Lutar e Avançar nas Conquistas, realizou na manhã de sábado, 15 de julho, na feira da Cidade Operária, ato estratégico de mobilização social para a Greve Geral dos professores da rede pública municipal de São Luís. Com o movimento paredista marcado para o início de agosto, a diretoria sindical entregou panfletos e conversou com a sociedade sobre a paralisação das atividades, bem como a situação caótica das escolas públicas da capital.

A receptividade da população foi muito positiva. O sindicato teve a oportunidade de dialogar com mães, pais e alunos que necessitam da escola pública e sofrem com a precariedade destes espaços. A comunidade demostrou que apoia a greve dos educadores, por entender que os professores estão na luta por uma educação pública de qualidade para as crianças e jovens. “É justo e necessário a greve dos professores, pois mesmo sem greve, muitas escolas estão paralisadas ou funcionando sem as mínimas condições. É triste e nos revolta essa situação, temos que lutar para mudar essa realidade”, sustentou a mãe de um aluno da UEB Tancredo Neves, senhora Marília.

IMG_7040

IMG_7054

IMG_7017

“Foi muito bom esse contato com a comunidade da Cidade Operária; o que demonstra que a sociedade está assumindo o posicionamento de não aceitar o desrespeito e o descaso do prefeito da cidade com a Educação do município”, disse a presidente do Sindeducação, professora Elisabeth Castelo Branco.

Encabeçando a mobilização, a presidente, professora Elisabeth Castelo Branco; a vice-presidente, professora Josidete Barbosa e a Tesoureira da instituição, professora Izabel Dias. Além de panfletar e dialogar com os moradores do bairro, as sindicalistas foram fortes no discurso e chamaram a atenção da sociedade para o cenário caótico da Educação Pública e também para a desvalorização dos profissionais do magistério, que receberam 0 % de reajuste por imposição da má gestão de Edivaldo Holanda Júnior.

“A partir de agosto é greve geral dos professores. Vamos para o enfrentamento com garra, determinação e foco. E, vamos dizer ao prefeito desaparecido: Verás que um professor não foge à luta”, frisou a presidente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *