ISOLAMENTO SOCIAL | Sindeducação dá dicas para cuidar da Saúde Mental

O isolamento social, medida recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde como forma de prevenir a disseminação do novo coronavírus (Covid-19), além de interferir diretamente na economia do país, no calendário escolar e diversos segmentos, também tem influenciado as pessoas. Em meio a essa situação de pandemia, o vírus demonstrou todo o poder de afetar a saúde mental das pessoas, aumentado mundialmente os níveis de ansiedade, pois fatores desconhecidos e incertos estão fazendo com que nos sintamos inseguros.

Mas é possível amenizar os sintomas de ansiedade e tentar viver de uma maneira saudável, refletindo sobre os aprendizados dessa triste realidade. Para ajudar, o Sindeducação preparou algumas dicas importantes para se levar em consideração quando o assunto é quarentena e ansiedade. Confira:

  1. Dedique-se a alguma atividade que durante um tempo deixou para trás

Quantas vezes você disse que não tinha tempo ou que estava com saudade de fazer algo que gosta? Agora é o momento de investir naquele hobby de pintar, desenhar, escrever, ler ou aprender a cozinhar. É hora de esquecer as desculpas e começar a dar atenção para atividades que você deixa de lado no dia a dia. Então desligue um pouco o celular e a televisão e dê atenção para algum hobby. Com a internet temos acesso a muito conteúdo gratuito. É possível assistir aulas online, fazer cursos e realmente mergulhar em uma nova paixão.

  1. Idosos precisam de uma maior atenção. Foque em atividades voltadas para eles.

Pessoas idosas são o principal grupo de risco vulnerável a desenvolver complicações pela Covid-19 e, por isso, precisam ficar totalmente isoladas. Em muitos casos, elas sentem falta da interação social e do contato com familiares e amigos, ficando mais tristes e ansiosas. Para distraí-las e garantir momentos de diversão, procure jogos de mesa, como damas ou dominó, por exemplo, para jogar junto com a família. Os jogos podem ser uma forma de distração para os mais velhos e ajudam a não focar apenas nas notícias sobre o coronavírus. A internet está cheia de exercícios leves que podem ser feitos dentro de casa, como alongamentos e aulas de yoga, sem falar de canais no Youtube e sites que ensinam a fazer várias receitas.

  1. Filtre o excesso de informações.

Tenha mais cuidado com o tempo de exposição às informações. O ideal é escolher um ou dois telejornais. Não passe o dia todo nas redes sociais, pois o turbilhão de informações atrapalha. Tente assistir um filme inteiro sem consultar seu celular. A mente precisa descansar! Vale destacar o não repasse de fake news. Desconfie daquelas informações excessivas enviadas no WhatsApp, cheque sempre a fonte e qual canal de comunicação está divulgando, os portais mais conhecidos são os que tem mais credibilidade.

  1. Tenha empatia!

Em meio às dificuldades físicas e psicológicas que o período apresenta, preze pela empatia. A criação de uma rede de apoio entre todos torna tudo mais suportável. Mesmo que à distância, procure manter contato com conhecidos e preste atenção caso demonstrem instabilidades emocionais. Aproveite para praticar gestos de solidariedade, muitas pessoas estão se unindo para ajudar os profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate ao coronavírus oferecendo lanches, enviando cartinhas de apoio; outras estão doando kits de higiene às pessoas em situação de rua, cestas básicas para quem mora em comunidades carentes. Você também pode oferecer ajuda a um vizinho entrando em contato com ele, perguntando se ele precisa de algo, já que está indo ao supermercado, farmácia, padaria…

  1. Faça Terapias On-lines

O Conselho Federal de Psicologia liberou o atendimento virtual para evitar o alastramento da pandemia, as pessoas poderão receber acolhimento de profissionais habilitados e receber as primeiras recomendações. Os canais de escuta são terapêuticos e, certamente, irão beneficiar a população. O OrienteMe (clique AQUI) é uma plataforma que oferece um formulário online e, a partir das respostas, encontra o profissional mais compatível para lhe atender. Permite que você fale quando quiser com seu terapeuta, seja pelo app ou site – por mensagens, vídeo, texto, áudio e foto. Há planos a partir de R$ 70 por semana.

O Sindeducação destaca que, além da mente, é importante manter o corpo em equilíbrio. Para isso, é importante dedicar um tempo para respirar fundo, alongar-se, meditar, praticar exercícios. Lembre-se sempre de manter uma alimentação saudável, de se expor ao sol antes das 10h da manhã – vitamina D é muito importante para o organismo. E claro: não esqueça de beber muita água!

Imprensa Sindeducação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *