Em Assembleia Geral, professores definem calendário de lutas da Campanha Salarial 2022

O Sindeducação promoveu na sexta-feira, 11 de fevereiro, a segunda Assembleia Geral do ano. Em pauta, a gestão “Da unidade vai nascer a novidade” definiu junto com a categoria as próximas ações da Campanha Salarial 2022.

Os professores e professoras da rede pública municipal de ensino discutiram e aprovaram um calendário de lutas e mobilizações em defesa da aplicação do piso e do reajuste para TODA A CATEGORIA na assembleia virtual realizada via Google Meet. Na oportunidade, a diretoria da entidade deu detalhes da abertura da Mesa de Negociação 2022, ocorrida no dia 10, em reunião na sede da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A diretoria da entidade explicou que não foi apresentado ainda o conteúdo do Projeto de Lei anunciado recentemente pelo prefeito Eduardo Braide, que firmou compromisso de cumprir a Lei Nacional do Piso do Magistério, para os professores e professores da rede pública de ensino.

Até a instauração da Mesa de Negociação, o PL ainda não havia sido remetido à Câmara de Vereadores e, durante esta reunião, mais uma vez, a diretoria do Sindeducação reforçou para a secretária Caroline Salgado da importância de o PL contemplar todas as carreiras do magistério, para que o reajuste venha a repercutir em toda a tabela salarial dos profissionais, sejam eles ativos ou aposentados. Além disso, a secretária afirmou que nenhum Projeto de Lei será enviado ao legislativo antes de ser discutido na Mesa de Negociação com a categoria.

Durante a Assembleia Geral, a diretoria do Sindeducação informou aos participantes que na instauração da Mesa de Negociação, a entidade reivindicou a inserção, a partir das próximas rodadas de negociação, de um membro representante dos (as) aposentados (as) e que, nos próximos dias, o Sindeducação convocará uma plenária para eleição desse representante.

Durante mais de três horas de Assembleia Geral, os professores aproveitaram para tirar dúvidas com a diretoria, entre elas sobre o pagamento das progressões anunciadas pelo prefeito Eduardo Braide. Foi informado, na instauração da Mesa de Negociação, que as progressões relativas a 2020 seriam efetuadas em fevereiro e as relativas a 2021 pagas no mês de março. Sobre as titulações e difícil acesso nenhuma informação foi dada na reunião.

Na oportunidade, a diretoria do Sindeducação ratificou o esforço que a entidade vem empreendendo em todo o período de sua gestão e que o trabalho desenvolvido pela direção sindical vem ajudando a construir um caminho sólido para conquista de direitos, sobretudo no que se refere ao trabalho conjunto com o Ministério Público Estadual e repercutido nos meios de comunicação, mostrando à sociedade as reais condições das escolas da rede pública municipal de ensino e todo o esforço da categoria de professores que buscam condições dignas para o exercício de sua profissão, seja em sala de aula ou por meio do ensino remoto. Pontuou-se também que a categoria aguarda há mais de cinco anos por valorização profissional, que a abertura da Mesa de Negociação, encaminhada pelo prefeito Eduardo Braide, é uma conquista da luta da categoria, neste sentido, é importante que todos (as) sigam unidos (as) e mobilizados (as), até a concessão de reajuste para todos (as) os (as) profissionais.

Assim, a diretoria apresentou uma proposta de calendário de ações até o dia 25 de fevereiro e, por unanimidade, a categoria aprovou as atividades que serão desenvolvidas, divididas em plenárias setoriais, continuidade de blitz nas escolas e panfletagem explicativa sobre a campanha salarial, entre outras ações. Nesta assembleia, os professores também levaram suas contribuições e a diretoria do Sindeducação ouviu atentamente todas as opiniões para fazer destes momentos, ações ainda mais efetivas.

Para ter acesso à Agenda de Lutas, clique abaixo:

#braidevalorizeosprofessores

#braidepagueopiso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *