Em Assembleia Geral Extraordinária, professores (as) decidem por paralisação.

Em Assembleia Geral Extraordinária realizada pelo Sindeducação na tarde de terça-feira (9), os (as) professores (as) decidiram por realizar uma paralisação no próximo dia 24 de novembro, exigindo o cumprimento de inúmeras reivindicações feitas pela categoria ao longo de 2021 ao prefeito Eduardo Braide.

A presidente do Sindeducação, Sheila Bordalo, durante reunião online destacou os esforços que a entidade sindical vem empreendendo para que a Mesa de Negociação Permanente seja instalada e se discuta com o sindicato todas as demandas pendentes desde a gestão do prefeito Edvaldo Holanda Jr. e que seguem descumpridas pelo prefeito Eduardo Braide. A presidente da entidade lamentou a postura do prefeito que se nega a receber a categoria, que reivindica a concessão de reajuste salarial há quase cinco anos, o pagamento dos Direitos Estatutários, além de exigir que os protocolos sanitários sejam respeitados e que nenhuma escola volte às atividades presenciais sem condições.

A Assembleia realizada pelo Sindeducação, além de atualizar a categoria sobre os trabalhos realizados pelo sindicato nos últimos meses, de alertar sobre as Propostas de Emendas à Constituição, orquestradas pelo governo de Jair Bolsonaro, teve como objetivo definir a data da paralisação. Todo o formato de como o movimento vai acontecer, ainda será definido pela entidade e discutido com toda a categoria em próximas reuniões.

Na oportunidade da Assembleia, o secretário de Assuntos Jurídicos do Sindeducação, Cássio Souza explicou os tramites das PECs 32/2020 e 23/2021, propostas de Bolsonaro e base aliada que pretendem desmontar os serviços públicos do país e também de se apropriar dos Precatórios do Fundef, dinheiro já garantido na Justiça para os professores, mas que o presidente quer utilizar para fins eleitoreiros.

Durante a Assembleia Geral Extraordinária realizada, os (as) professores (as) não descartaram a hipótese de uma greve por tempo indeterminado. A diretoria do Sindeducação informou, ainda, aos participantes que, após o protesto realizado pelos profissionais que cobram a homologação das ampliações do Edital 02/2020, que contou com apoio da entidade sindical, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), enviou comunicado ao sindicato solicitando uma reunião nesta quinta-feira, 11 de novembro. A diretoria espera que a nova secretária da pasta dê respostas objetivas a todos os ofícios remetidos pela entidade durante o ano de 2021.

___________________________

IMPRENSA SINDEDUCAÇÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *