Diretoria do SINDEDUCAÇÃO cobra as construções de Creches e Escolas.

 

Foto Capa Ok

A presidente do SINDEDUCAÇÃO, professora Elisabeth Castelo Branco e a vice-presidente, professora Josidete Barbosa, visitaram as construções de creches e escola do bairro Chácara Brasil, Morada do Sol e Cidade Operária. Durante a visita as professoras constataram o atraso nas obras de construção das creches e o abandono da obra da Escola do Bairro Chácara Brasil.

O Sindeducação tem acompanhado desde o ano de 2013, os repasses dos recursos para a Prefeitura de São Luís, fiscalizando o andamento das obras e denunciando às autoridades competentes os problemas encontrados na construção desses ambientes escolares. “Estamos atentos às construções dessas creches e escolas, fiscalizando, cobrando e denunciando os problemas encontrados nas nossas visitas, pois nos preocupamos com a educação e qualidade na prestação de serviço à sociedade ludovicense”, disse a presidente do Sindeducação Elisabeth Castelo Branco.

A construção de creches e Escola são financiadas com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e com o atraso e abandono das obras pela Prefeitura de São Luís quase 4 mil crianças podem ficar fora da sala de aula, prejudicando o ensino aprendizagem desses pequenos cidadãos, em uma das fases mais importante do processo estudantil dessas crianças.

foto matéria

A Prefeitura de São Luís é responsável por monitorar o andamento das obras e repassar as informações ao sistema de controle do FNDE. A partir dos dados sobre o andamento das obras, são autorizadas as transferências das parcelas dos recursos, à medida que as construções avançam.

Para a professora Elisabeth Castelo Brancos a Prefeitura de São Luís está omissa e não fiscaliza como deveria as obras. “É inadmissível vermos esse quadro de atraso e abandono dessas unidades de ensino. Temos um déficit tão grande de creches aqui em São Luís e no Brasil como um todo e presenciar essas obras paralisadas e em atraso, mostra o descaso que a Prefeitura de São Luís está tratando a educação na nossa capital, disse Elisabeth Castelo Branco.

Foram destinados recursos do Governo Federal, por meio do Programa Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) na ordem de R$ 35.000.000,00 (trinta e cinco milhões de reais) para a construção de 13 creches, 5 Escolas de Ensino Fundamental e ainda a construção e cobertura de quadras poliesportivas em escolas.

Do total de 13 creches e 5 escolas com recursos garantidos, somente as creches e a Escola do bairro da Chácara Brasil, Morada do Sol e Cidade Operária estão em fase de execução e com as obras atrasadas ou paralisadas.

RAIO X DAS OBRAS

montada morada

Creche do bairro Morada do Sol, Maracanã – a construção da Creche Tipo C – Proinfância do Bairro Morada do Sol, no Maracanã teve início no mês de maio de 2014 e tinha previsão de entrega para o mês de setembro do ano passado. Foi investido na obra R$ 1.046.511.41 (hum milhão, quarenta e seis mil, quinhentos e onze reais e quarenta e um centavos). Na creche ainda está faltando os serviços de acabamento, calçamento e jardinagem. Quando estiver pronta a creche vai beneficiar cerca de 80 crianças do bairro.

Chacara Brasil Montada

Creche do bairro Chácara Brasil – na Escola de Educação Infantil no bairro Chácara Brasil, as obras andam em ritmo lento, cerca de cinco profissionais trabalham na instalação das estruturas metálicas do teto da Escola. As obras deveriam ser entregues para a população do bairro no próximo mês (abril), mas segundo os próprios profissionais que trabalham no local, os serviços devem ir até o ano que vêm. Foi investido na construção da creche R$ 1.695.479.48  (hum milhão seiscentos e noventa e cinco mil, quatrocentos e setenta e nove reais e quarenta e oito centavos) que vai beneficiar cerca de 188 crianças em tempo integral ou 376 nos turnos matutino e vespertino.

CO Montada

Creche do bairro Cidade Operária – A escola de Educação Infantil da Avenida Leste da Cidade Operária é um dos casos mais emblemáticos. Com capacidade para atender até 376 crianças, a obra foi orçada em R$ 1.695.479.48 (hum milhão, seiscentos e noventa e cinco mil, quatrocentos e setenta e nove reais e quarenta e oito centavos) e teve início no mês de abril do ano passado com prazo de duração de um ano, ou seja, deveria ser entregue agora no mês de abril. Nem em sonho! Os serviços ainda estão no esteio do telhado. Faltam ainda serviços hidráulicos, elétricos, calçamento, jardinagem, acabamento, etc… “Devemos ir até o final do ano que vem, garantiu um profissional que trabalha no local”. Além do atraso na construção da creche, outro problema que chama a atenção é o lixo acumulado no entorno da creche.

Montada EScola

Escola com 12 salas na avenida Goiás, bairro Chácara Brasil – O caso mais problemático na construção de creches e escolas acompanhado pela diretoria do Sindeducação. A escola que beneficiaria mais de mil estudantes nos turnos matutino, vespertino e noturno deveria ter sido entregue a população desde junho de 2015. Hoje, as obras no local estão paralisadas e o que já foi construído está sendo destruído pela ação do tempo. O local está invadido pelo mato, a sustentação do telhado está sendo corroída pela ferrugem e há materiais de construção espalhados por toda a obra. Foi investido na construção mais de 3,5 milhões de reais.

A presidente do Sindeducação, Elisabeth Castelo Branco, lamenta o atraso e abandono das obras das creches e escolas. “Esse atraso prejudica a todos. Alunos, professores, mães e pais de alunos. Imaginem quantas famílias tiveram seus planos modificados por conta desses espaços não estarem prontos, quantas mães deixaram de trabalhar devido à falta de creche para deixar seus filhos? Esse problema é muito sério e o Sindeducação não vai deixar de denunciar esses desmandos com a educação.

Sindeducação vai à justiça denunciar atraso em obras

Com o atraso e paralisação das obras em creches e escola de São Luís, o Sindicato dos Profissionais do Magistério de São Luís vai intensificar a cobrança para que as creches e escolas sejam efetivamente concluídas e entregues à sociedade. “Vamos visitar os canteiros de todas as creches e escolas que estão garantidas para o município de São Luís. O sindicato vai continuar cobrando a entrega dessas treze creches e cinco escolas para a população. Depois dessas visitas, vamos encaminhar um relatório detalhado de tudo o que está acontecendo para o Ministério Público para que as providências sejam tomadas, disse a vice-presidente do Sindeducação, Professora Josidete Barbosa.

A presidente do Sindeducação convoca toda a sociedade para cobrar, junto com o Sindicato a entrega das unidades de ensino. “É preciso que a sociedade acorde e comece a cobrar do governo como o sindicato está fazendo, principalmente as famílias que estão sendo atingidas por esse problema. A população não pode se calar diante de tantos desmandos do poder público, finalizou Elisabeth Castelo Branco.

1 comentário

  • Maria disse:

    Todos sabem que o prefeito Edivaldo é um fracasso em matéria de educação, ainda assim centenas de professores votaram nele para mais um mandato que começou agora e o resultado será semelhante ao primeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *