Direção do Sindeducação e mesa de negociação se reúnem com secretário de Educação Moacyr Feitosa

DSC_0756

A direção do Sindeducação – Gestão Renovar e Avançar na Luta e a Comissão da Mesa de Negociação, reuniram-se na tarde desta quarta-feira (24), no auditório da SEMED, com o secretário Municipal de Educação, Moacyr Feitosa, estabelecendo o objetivo de discutir as demandas urgentes da Pauta de Reivindicações 2016 – eleita em Assembleia Geral Extraordinária – no dia 17 de fevereiro na Sede da FETIEMA.

Esteve presente a professora Elisabeth Castelo Branco, presidente do Sindeducação, acompanhada das professoras Orfisa Surama e Márcia Dutra, dirigentes sindicais; o assessor jurídico do sindicato, advogado Antônio Carlos; o secretário de Educação Moacyr Feitosa e superintendentes da Semed; o vice-presidente do Sindvig-MA, Daniel Pavão, além da comissão de professores formada durante a paralisação de Advertência no dia 22 de fevereiro.

No ensejo foi discutida algumas demandas urgentes pautada nas Reivindicações 2016, inclusive a criação de um calendário ordinário de reuniões no sentido de concretizar as exigências necessárias – Reajuste salarial, seguranças nas escolas, reforma dos prédios escolares, condições de trabalho para o professor e recursos pedagógicos; um terço de hora atividade; nomeação dos membros dos Conselhos Municipal, Fundeb e de Alimentação Escolar; direitos dos professores contratados, entre outros assuntos.    

“Enfatizamos e discutimos diversos pontos relevantes do que foi decidido pela categoria em Assembleia Geral. Pontuamos a questão do reajuste salarial e recomposição das perdas, proporcionando um calendário fixo de reuniões sob a perspectiva de incrementar questões necessárias para concluirmos a pauta defendida em assembleia”, disse a presidente do sindicato.

Durante a pauta reivindicatória, a professora Elisabeth Castelo Branco pontuou por diversas vezes a irresponsabilidade do prefeito Edivaldo Holanda Junior em atrasar os direitos da categoria, tendo em vista o posicionamento diante das problemáticas enfrentadas pela comunidade educacional (professores, alunos, pais e funcionários). Ainda segundo ela, deve existir um projeto político pedagógico de funcionamento; com normas e diretrizes; revitalizar o espaço escolar atendendo pelo menos as necessidades básicas; desenvolvendo a construção do ensino e aprendizagem dos alunos. “Em todas as reuniões iremos pontuar nesse sentido para que se tome as devidas providencias e, caso não haja, voltaremos às ruas em favor dos nossos direitos”, defendeu a presidente.

Metas – Sobre o panorama de estabelecer prazos e metas, a direção do sindicato e a mesa de negociação, conseguiram avançar no que tange a questão do planejamento organizacional da Secretaria de Educação (SEMED) pautando as medidas em caráter de urgência para que a medidas necessárias sejam tomadas em relação os problemas educacionais e a garantia dos direitos do professor.

O secretário de Educação Moacir Feitosa, conversou pontualmente com os professores enfatizando demandas importantes, mas que ainda necessitam ser mais discutidas no planejamento ordinário de reuniões com a direção do sindicato e a mesa de negociação. Durante o discurso, o gestor da pasta pontuou as seguintes questões:

“Não posso prometer o que não vou conseguir concluir. O prefeito Edivaldo Holanda júnior conversou comigo prioritariamente e disse que há uma necessidade extensa no que tange a educação pública municipal. Agora é outro sistema de concretização e manutenção das demandas necessárias em relação as escolas municipais. Dez meses é pouco, mas garanto que farei o que for possível dentro da possibilidade financeira. Já iniciamos com a contratação da Empresa Pas Segurança licitada de forma definida; com normas e diretrizes a ser cumprida pelos gestores do serviço. Na outra semana a comunidade educacional já pode contar com o serviço de vigilância. Estamos trabalhando em prol da recuperação das escolas em caráter de urgência; condições de trabalho; o reajuste salarial foi inserido no calendário de reuniões; um terço de hora atividade, enfim uma série de medidas que estão sendo reorganizadas em nossa gestão”, pontuou o secretário.

Agenda

Em discussão ficou decidido que haverá uma nova reunião na próxima quarta-feira, 2 de março, para discutir as demandas urgentes – problemas de infraestrutura, condições de trabalho, reformas,  reajuste salarial, entre outros assuntos.

Escolas que estão inseridas no plano emergencial de recuperação definido em reunião; com sistema de climatização, manutenção e informatização.

– Pedro Bertol

– Alberto Pinheiro

– Mata Roma

– Bandeira Tribuzzi

– Miguel Lins

– Maria José Vaz dos Santos

2 Comentários

  • Maria disse:

    O problema da questão de segurança é a falta de pagamento, a empresa Paz Segurança já estava em algumas escolas, só que os vigilantes estão sem pagamento, então, não adianta colocar em todas as escolas e a prefeitura dá o calote na empresa e ela ficar sem poder pagar seus vigilantes.

  • Provocador disse:

    “Agora é outro sistema de concretização e manutenção das demandas necessárias em relação as escolas municipais.”
    “…o reajuste salarial foi inserido no calendário de reuniões…”
    Esse Moacir Feitosa é escorregadio, todo. Fala muito e não diz nada. Na minha terra a gente chama de “miguelismo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.