CRISE POLÍTICA| Bolsonaro anuncia golpe de estado; trabalhadores devem lutar pela Democracia e em defesa dos direitos sociais

O Brasil assistiu, no último domingo, 3, mais uma vez, o presidente Jair Bolsonaro agir contra a Constituição Federal, com objetivo de acelerar a deterioração da Democracia no país com sua política autoritária e genocida. O presidente participou de ato contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF), fazendo coro e sugerindo um golpe de Estado com eventual apoio dos Militares. O Sindeducação repudia a atitude do presidente, que deixa de cumprir as recomendações das autoridades de saúde e focar as ações do Governo Federal no combate à pandemia, submetendo milhares de brasileiros à morte.

Como de costume, o ato protagonizado por Bolsonaro novamente descartou o tão necessário isolamento, colocando o país numa situação ainda mais complicada, já que provocou aglomeração de seus apoiadores na frente do Palácio do Planalto – dados das secretarias estaduais de Saúde divulgados no final do domingo mostraram que o Brasil contabilizou 7 mil mortes e mais de 100 mil infectados pela doença intitulada pelo próprio presidente como “gripezinha”. Sem máscara, Bolsonaro cumprimentou o grupo de manifestantes, carregou criança no colo e ajudou a estender uma bandeira na rampa do Planalto.

Em live, ele disse que não vai admitir mais interferência em seu governo “Chega de interferência, não vamos mais admitir interferência, acabou a paciência. Vamos levar esse Brasil para frente”, atacou. Afirmou, ainda, que as Forças Armadas estão “ao lado do povo”. “Temos as Forças Armadas ao lado do povo, pela lei, pela ordem, pela democracia, pela liberdade”. E, mais uma vez, voltou a atacar governadores por medidas de isolamento social no combate à pandemia do coronavírus e os acusou de patrocinar a destruição dos empregos. Ainda houve na manifestação hostilização com o trabalho da imprensa e agressão com chutes e pontapés à equipe de jornalistas do jornal ‘O Estado de S.Paulo’.

Diante desse grave contexto, o Sindeducação convoca os educadores para fortalecerem as campanhas desenvolvidas pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE e demais entidades representativas de trabalhadores no país, exigindo do governo, nesse momento, foco no combate à pandemia e manutenção do isolamento social, manutenção dos direitos e sem congelamento de salários. Além disso, devem denunciar, também, os crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro, cobrando, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a apreciação das dezenas de pedidos de impedimento do Presidente da República.

A nossa luta neste momento é contra o vírus e contra a ignorância, é contra aqueles que insistem negar a dura realidade. Nós, brasileiros, precisamos de uma atuação uníssona para barrar todo esse plano perverso contra a sociedade. Basta, Bolsonaro! O Brasil não quer um regime autoritário, não quer repressão. O momento é de salvar nossa liberdade, de salvar vidas. Lutemos pela democracia!

#ForaBolsonaro

Imprensa Sindeducação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *