CLASSE D | Sindeducação preza pela verdade e repudia divulgação de notícias falsas

O Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Municipal de São Luís – SINDEDUCAÇÃO, vem a público REPUDIAR a veiculação de notícias falsas, Fake News, que acusam a entidade sindical criar e divulgar Decisão Judicial que não existe, e ESCLARECER a verdade dos fatos. O assessor jurídico do sindicato, advogado Antônio Carlos Araújo, gravou vídeo restabelecendo a verdade e condenando o uso político da divulgação da decisão judicial no processo Classe D, para fins de campanha nas eleições da Direção do Sindicato.

O advogado ressalta que o escritório foi contatado por professores, que receberam ligações e vídeos de candidatos que disputam o pleito eleitoral do Sindeducação, afirmando que a decisão judicial foi “inventada” pela Assessoria Jurídica. “Nós não fazemos campanha para nenhuma chapa, não nos envolvemos com o processo eleitoral, este, inclusive, de competência de uma outra Assessoria Jurídica, contratada especificamente para este fim. A Araújo Ferreira Advogados Associados se mantém imparcial e é responsável por representar a Entidade Sindical”, frisa.

A Decisão Judicial que o advogado se refere foi proferida pela juíza Oriana Gomes, titular da 4ª Vara da Fazenda Pública da Capital, e dá prazo de 20 dias para o Município de São Luís implantar e cumprir a obrigação de fazer e implantar no contracheque dos professores – que completaram 24 anos de Magistério até o dia 30 de março de 2008, a gratificação Classe D relativa à Lei nº 2728/1985, antigo Estatuto do Magistério. A juíza fixou a aplicação de multa diária de R$ 500 reais, para cada professor substituído na ação, limitado a 30 dias, caso o Município de São Luís deixe de cumprir a determinação.

ACESSE AQUI A DECISÃO JUDICIAL

O sindicato não tinha porque não divulgar essa decisão, pois é uma feliz notícia para a grande parcela dos professores, muitos dos quais já estão aposentados aguardando há vários anos esse dinheiro. A notícia e a decisão são verdadeiras, espero que todos possam ter acesso e ler. Não temos porque inventar decisão da Justiça”, ressalta Antônio Carlos.

Assista abaixo o vídeo gravado pelo advogado:

USO POLÍTICO & FAKE NEWS

A Diretoria do Sindeducação condena a propagação de notícias falsas em véspera da celebração democrática dos professores para a escolha da gestão 2020 – 2024. A professora Izabel Cristina, presidente em Exercício da entidade, lembra que foram essas mesmas fake news que corromperam todo o processo eleitoral da Presidência da República, e que levaram ao poder uma pessoa totalmente despreparada, que coloca a soberania e o avanço socioeconômico do país em risco.

Nós como professores, educadores que somos, devemos dar exemplo e não propagar inverdades. Isso, além de ser uma conduta ética reprovável, pode ser configurado como crime”, lembra a sindicalista.

Professora Izabel Cristina pede aos professores que busquem informações oficiais junto ao sindicato, que sempre divulga, no caso dos processos, o número da ação que pode ser consultado no sistema do Tribunal de Justiça. “A consulta é pública e o processo pode ser acessado por qualquer pessoa com acesso à internet”, pontua.

Vamos fazer um processo eleitoral limpo, transparente e verdadeiro. Espero que todos os professores escolham o melhor caminho para o sindicato, aquele que preza pela verdade dos fatos. Um abraço a todos”, finaliza.

Imprensa Sindeducação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *