CAMPANHA SALARIAL | Sindeducação convoca educadores para Assembleia Geral no dia 18 de janeiro

O Sindeducação convoca os educadores para Assembleia Geral que ocorrerá no próximo dia 18 de janeiro, a partir das 8h30, no auditório da FETIEMA, localizado ao lado da Praça da Bíblia, Fabril. A assembleia vai discutir e encaminhar diversos assuntos de interesse dos profissionais do Magistério da Rede Pública Municipal da Capital, em especial, a resposta do Governo Municipal sobre o acordo no processo judicial de férias (após notificação extrajudicial remetida pelo sindicato); a Campanha Salarial 2020; e as estratégias de mobilização para a tramitação do projeto de lei que altera o Plano de Carreiras – PCCV (ampliação de jornada).

O Sindeducação também pautou para essa assembleia, a deliberação da categoria diante do não pagamento dos Direitos Estatutários 2018/2019.

A professora Elisabeth Castelo Branco gravou mensagem nas redes sociais, convidando os educadores para assembleia geral no próximo sábado, 18. Assista!

JUNTOS VENCEREMOS! – Durante a assembleia, os educadores de São Luís vão aprovar a pauta da Campanha Salarial 2020. Nesse ano, o tema da campanha é “Em Defesa do Magistério e do Financiamento da Educação Pública”.

Os educadores, que amargam o descompromisso da prefeitura, acumulam, na atual gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, perdas salariais e a não implantação de direitos previstos em lei. “São mais de três anos sem qualquer tipo de reajuste salarial”, revela a professora Nathália Karoline, dirigente sindical.

FRUSTAÇÃO – O Sindeducação denuncia que na atual gestão do Prefeito Edivaldo Holanda Júnior, o relacionamento do governo com a categoria tem sido “via de mão única”, sem diálogo e sem respeito, porém há muita cobrança para a melhoria do ensino e dos resultados nas escolas; aperfeiçoamento contínuo dos educadores, por meio da Formação Continuada, item essencial para a melhoria do processo ensino-aprendizagem; planejamento, dentre outras exigências do Poder Municipal, sem a contrapartida do poder público em garantir o cumprimento do PCCV e criação de uma Política de Valorização e Respeito dos Educadores.

Imprensa Sindeducação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *