Braide anuncia pagamento do piso para categoria de professores

Depois de muita pressão do Sindeducação e de toda a categoria de professores, o prefeito Eduardo Braide anunciou, em suas redes sociais, que encaminhará nos próximos dias à Câmara de Vereadores um Projeto de Lei para atualizar o piso com efeito retroativo a janeiro deste ano. De acordo com a Lei nº 11.738/2008, a Lei do Piso, o valor mínimo para os docentes da educação básica deve ser reajustado anualmente em janeiro.  Para 2022, o reajuste é de 33,24%, ou seja, passa de R$ 2.886,24 para R$ 3.845,34. 

IMPORTANTE:

O reajuste salarial que beneficiará professores ativos e aposentados é uma demanda prioritária para a Campanha Salarial de 2022, considerando que a categoria está há 5 anos sem reajuste. Na Assembleia Geral de 17 de janeiro, a categoria de professores deliberou em sua pauta de reinvindicações que seja atualizada a tabela salarial, EM TODOS OS NÍVEIS, de acordo com a Lei do Piso. 

ATENÇÃO:

O Sindeducação fará um operativo para acompanhar a chegada e tramitação do PL anunciado pelo Prefeito Eduardo Braide à Câmara de Vereadores. Nossa luta segue para que seja garantido a todos os professores da rede pública municipal de ensino o reajuste de acordo com a Lei do Piso. Conclamamos a todos os professores e professoras que participem das atividades de mobilização, compartilhem as publicações do sindicato e conversem com seus colegas de trabalho, fortalecendo essa luta pela valorização da carreira.

Professor (a) veja como ficará o seu salario após o reajuste clicando no arquivo abaixo:

2 Comentários

  • Wilson Carvalho disse:

    Cumprir com o que manda a lei não está fazendo nada além do que deve. Se é lei só resta Cumprir. O Ministério público, as controladorias públicas, o poder legislativo e a OAB devem ser sempre os guardiões da justiça assim como as organizações sindicais que tem como força todos os membros da categoria. A união é a nossa maior força.

  • E que aposentados não fiquem de fora.
    Somos aposentados,mas não gagas pra não sabermos os nossos direitos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *