Blitz nas Escolas 2022 segue pelos núcleos Coroadinho, Bequimão-Turu e Cidade Operária.

Os diretores do Sindeducação seguem visitando mais escolas da rede pública municipal com a “Blitz nas Escolas 2022” para conferirem se, de fato, as unidades estão recebendo atenção da Prefeitura de São Luís e passando por intervenções necessárias para retornarem presencialmente no mês de fevereiro. A conclusão dos diretores, que estiveram nos núcleos Coroadinho, Bequimão-Turu e Cidade Operária nos últimos dias, é unânime: muita coisa precisa ser feita ainda nas unidades desses bairros.


Na Cidade Olímpica, Vila Janaina e Santa Clara, por exemplo, é perceptível que as escolas não estão aptas, continuam em cenário de sucateamento. De acordo com o que foi relatado aos diretores do Sindeducação, a equipe de engenharia da Prefeitura de São Luís sinalizou que fará neste primeiro semestre apenas reparos, prometendo reformas somente no segundo semestre. A diretoria do Sindeducação observou que há escolas, inclusive, recebendo a troca de uma ou duas lajotas no piso, quando a real necessidade seria a troca dele por completo; a mesma coisa acontece em locais em que apresentam goteiras, apenas há troca de uma ou duas telhas, quando seria necessário todo o retelhamento. Foi constatado que somente a UEB José Ribamar Bogéa Anexo 1 teve uma intervenção maior (ainda assim professores desta escola relataram que os banheiros não estão prontos e que muitos reparos precisam ser feitos) e que as escolas situadas na Cidade Operária é que estão recebendo mais atenção, passando por reformas completas, que, no momento da entrega delas, possivelmente atenderão as necessidades da comunidade.


No Núcleo Bequimão-Turu, por exemplo, o improviso e o disfarce tomam conta nas intervenções feitas. Na UEB Elpídio Hermes de Carvalho trocaram apenas vasos sanitários, torneiras, lâmpadas e foi feito retelhamento. Na UEB Neto Guterres, realizaram troca de lâmpadas, ventiladores, porém somente foi feita pintura nas salas de aulas, em outros ambientes nada foi realizado. Já na Mariana Pavão Ensino Fundamental apenas 3 salas foram pintadas, de forma bem grosseira com cal. Na UEB Jornalista Neiva Moreira, que já foi “entregue” pela equipe de engenharia da Prefeitura de São Luís houve reforma, mas, devido ao seu alto grau de deterioração, parece que a unidade não recebeu nenhum tipo de intervenção, inclusive os professores relataram ao Sindeducação que a unidade constantemente é alvo de assaltantes, pois as portas não são seguras e, a cada arrombamento, a situação delas só pioram.


Para os diretores do Sindeducação, a impressão que dá é que a Prefeitura de São Luís trabalha fazendo uma espécie de ‘maquiagem’ em todos os locais já visitados nesses núcleos.


No núcleo do Coroadinho, a UEB Darcy Ribeiro está entre as escolas da rede municipal que mais causam indignação para a sociedade. Uma escola ampla, que já poderia receber intervenções, continua abandonada, sofrendo com a negligencia do poder público. Vale destacar que o teto dessa escola, inclusive já desabou em cima de alunos e professores e também já foi alvo de incêndio criminoso. Na Blitz 2022, a direção do Sindeducação viu que a Darcy Ribeiro foi completamente invadida por pessoas em situação de rua e que a área externa virou depósito de lixo.


Um ponto recorrente que é observado nas visitas já realizadas nas áreas do Itaqui-Bacanga e Zona Rural e constatado também nas demais áreas é o comprometimento dos telhados e forros das escolas dos núcleos Coroadinho, Bequimão-Turu e Cidade Operária. Há UEBs que estão infestadas de pragas urbanas, como pombos e cupins. Para a diretoria do Sindeducação, a Prefeitura de São Luís precisará garantir que essas escolas, depois de receberem reformas ou reparos, possam ter também um cronograma de dedetização e higienização dessas áreas, bem como o de limpeza de cisternas e caixa d’águas. Afinal, os cuidados com a saúde da comunidade escolar precisam ir além da adoção de medidas que combatem o surto da covid-19.

O Sindeducação reforça aos professores e professoras que segue realizando a “Blitz nas Escolas 2022” ao longo desta semana. Todo o material levantado em campo pela diretoria será colocado em um relatório e denunciado às autoridades competentes. Seguimos lutando para que todas as unidades da rede tenham condições estruturais seguras e salubres para o desenvolvimento das atividades pedagógicas.

__________

IMPRENSA SINDEDUCAÇÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *