Ato #9J em Defesa da Educação levou centenas de estudantes e entidades ao Centro de São Luís em protesto contra os recentes ataques do Governo Bolsonaro às universidades públicas.

Os novos cortes do governo de Jair Bolsonaro no orçamento do Ministério da Educação que já afetam as universidades públicas, a pesquisa e a ciência foram os fatores principais para o protesto do ato #9J, realizado em todo o país ontem, 9 de junho. Em São Luís, o Sindeducação se somou à luta convocada por estudantes e diversas entidades e seus diretores marcaram presença no protesto que tomou conta das ruas do centro da cidade.

Assim como o anuncio dos novos cortes no orçamento do MEC, a proposta apoiada pelo governo, de cobrança de mensalidades nas universidades públicas esteve também na pauta do #9J levando não somente os estudantes universitários às ruas, os alunos do Instituto Federal do Maranhão (Ifma) e Instituto Estadual do Maranhão (Iema), por exemplo, tiveram participação massiva.

Em seu discurso, a presidente do Sindeducação, Sheila Bordalo, falou sobre a importância do movimento realizado com a presença de tantos jovens estudantes, que dependem de um ensino público de qualidade, reforçando a grande missão de todos neste ano de 2022:  derrotarem a gestão de Bolsonaro, já considerada a pior da história do país na área educacional, marcada por pautas ideológicas e sucessão de péssimos ministros, cortes de verbas e falta de ações para minimizar os impactos da pandemia.  Vale lembrar que no último dia 27, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) colocou na pauta PEC 206/2019, que propõe a cobrança de mensalidades nas universidades federais, ela chegou a tramitar na CCJ, mas foi graças à pressão de várias organizações e da sociedade, que ela recuou. Na ocasião, o Governo Federal anunciou ainda o corte de R$3,2 bilhões para as despesas discricionárias das universidades, ou seja, aquelas despesas referentes a pagamento de água, luz, manutenção de estrutura, etc.

“O presidente Jair Bolsonaro desde o início de sua gestão vem sucateando a educação, não traz soluções concretas para os inúmeros problemas evidenciados no período da pandemia, hoje ele aposta na privatização da educação, a exemplo do homeschooling. Todo o projeto neoliberal do atual presidente representa um retrocesso e precisa ser combatido com uma luta permanente de toda a sociedade. O ato #9J foi interessante de se ver e participar, os estudantes de São Luís protagonizaram uma luta muito bonita”, avaliou a presidente Sheila Bordalo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *