ASSEMBLEIA GERAL | Professores aprovam possibilidade ampliação de jornada

Assembleia Geral contou com a participação do assessor jurídico, advogado Antônio Carlos Araújo.

Os professores da Rede Municipal de São Luís aprovaram, em Assembleia Geral realizada no último dia 26 pelo Sindeducação, a minuta de ampliação de jornada para professores da Rede Municipal com dois vínculos em situação de acúmulo de cargos.

O item que trata da possibilidade de unificação de matrículas foi rejeitado pelos professores que aprovaram parecer da Comissão formada pela diretoria do Sindeducação e professores de base. O novo texto, aprovado em assembleia, vai ser apresentado na Mesa de Negociação à Secretaria Municipal de Educação – SEMED, e segue sem a propositura da unificação de matrículas e outros itens.

A Direção do Sindeducação defende uma única regra para toda a categoria, e é contrário a unificação de matrícula, devido às incertezas e complicações futuras que podem surgir. Sendo assim, traz como proposta, aos professores com dois vínculos com o Município de São Luís, a possibilidade de exoneração de uma das  matrículas, de livre escolha do professor, e o direito a ampliação como forma de resolver o impasse.

Professora Elisabeth Castelo Branco, conversa com educadores durante assembleia.

“A pauta da Assembleia foi amplamente esclarecida e debatida entre os professores presentes e a democracia prevaleceu. O momento foi de esclarecimento para a categoria”, avaliou a professora Elisabeth Castelo Branco, presidente do Sindeducação.

A Assembleia Geral contou com a presença do advogado Antônio Carlos Araújo, assessor jurídico do Sindeducação; e dos professores Antonísio Furtado, Sheila Borlado e Maria de Deus, que compõem, ao lado do sindicato, a Comissão de Análise da Minuta.

“O que discutimos hoje na Assembleia foi apenas uma possibilidade a mais para a categoria. Durante os atendimentos no sindicato percebemos que os professores, que estão em acúmulo de cargo, almejavam essa possibilidade de ampliar para 30 horas, porque já tinham um vínculo de 30 ou 24 horas em outro Ente Público; e que não desejavam ampliar para 40 horas”, esclareceu o assessor jurídico do Sindeducação.

O advogado deixou bem claro que a proposta é uma opção de escolha para os professores e não uma imposição. A possibilidade de ampliação para 40 horas continua. “Explicamos a proposta, a categoria entendeu e a maioria acabou deliberando a favor.  A gente entende que isso é positivo e acaba deixando a decisão com o servidor, nem com o sindicato nem com a SEMED”, pontuou.

A professora Elisabeth Castelo Branco, comemorou o resultado da Assembleia, e ressaltou que a ampliação de jornada de trabalho foi uma decisão assertiva da categoria de professores. “Nós não vamos aceitar a unificação, mas sim a ampliação de jornada para que o professor tenha a opção de decidir aquilo o que for melhor para sua carreira profissional. A categoria está de parabéns, e nós vamos fazer o melhor dentro das possibilidades para garantir aquilo que é benéfico, legal, e bom para todos os professores, e não somente para alguns. Não vamos aceitar as regras impostas pela SEMED, que buscam apenas dividir a categoria entre professores e suporte pedagógico, pois somos uma categoria só, de Professores!” assinalou.

Professores aprovam possibilidade de ampliação de jornada.

Professora Sheila Bordalo, da Comissão de Análise da Minuta.

DEPOIMENTOS – Para a professora Maria de Deus, as discussões são pertinentes às ansiedades do momento da categoria. “Hoje eu prefiro 40 horas, mas e se amanhã eu precisar de 30 horas? Por isso, votei a favor das 30h. As coisas mudam e eu posso precisar dessa opção no futuro. Também conheço vários colegas que precisam reorganizar sua vida e preferem trabalhar 30h. Conhecemos muitas pessoas que querem e que precisam dessa possibilidade de jornada. Estou feliz porque a reunião contemplou as ansiedades da categoria e nos deu a oportunidade de votar e decidir”, ponderou.

“Toda assembleia da categoria é importante. É nesse espaço que a gente consegue conversar com os pares, ouvir a orientação do próprio sindicato, e assim ter um número de informação maior possível que nos dê a condição de tomarmos as decisões mais responsáveis e conscientes. Avalio o evento como positivo. Todas as decisões foram tomadas por nós professores, e isso é importante”, avaliou a professora Fábia Miranda.

A assembleia também foi satisfatória para a professora Joseana Alves. “Avalio como positivo o encontro, embora o número de professores tenha sido um pouco reduzido. Sou a favor da proposta para toda a categoria, independente se é professor ou suporte pedagógico”, destacou.

CONCURSADOS – Durante a assembleia geral a presidente do Sindeducação fez um esclarecimento, acerca de dúvidas levantadas pelos professores que aguardam convocação do Concurso Público. A sindicalista garantiu que a ampliação não irá provocar, implicar ou impossibilitar a não convocação de novos professores, pois os professores que vão ter a possibilidade de ampliação de jornada são aqueles que já têm duas matrículas com a Educação, ou seja, mantendo o atual cenário de deficit da Rede Municipal.

“Ou seja, os professores aprovados devem ficar tranquilos que a SEMED não tem motivos para paralisar as convocações”, finalizou.

 

Imprensa Sindeducação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *