ALÔ PREFEITO | Bloco Carnavalesco dos Educadores promete integrar a categoria e cobrar reajuste da Prefeitura de São Luís

Unindo a cultura carnavalesca e a luta em defesa da categoria, o Sindeducação lança o Bloco de Mobilização: Resistir para Existir! A concentração ocorrerá no próximo dia 23, sábado, na Praça da Bíblia (Fabril), a partir das 15h, com circuito até a Madre Deus. A idealização do bloco faz parte das ações de mobilização da Campanha Salarial 2019, deliberadas pela categoria em Assembleia Geral realizada no dia 24 de janeiro.

O objetivo é fazer dessa tradição brasileira, um momento de luta em defesa do Magistério e de seus profissionais, em especial, o Professor, que tem sido alvo de vários ataques e projetos legislativos reacionários.

Os educadores da Capital vão usar a irreverência para denunciar o descaso da Prefeitura de São Luís e Secretaria Municipal de Educação (SEMED) quanto às reivindicações da categoria, que está há dois anos sem reajuste salarial. Os professores pleiteiam o cumprimento da Lei Nacional do Piso, que reajustou o vencimento base em 4.17%, e a recomposição das perdas acumuladas (17,46%).

As perdas salariais têm reduzido o poder de compra dos professores, e “achatado” o piso salarial do Magistério. “Na greve ou no carnaval, o professor deve seguir unido e lutando em defesa dos seus direitos”, assinalou na professora Gleise Sales, dirigente de Assuntos Educacionais do Sindeducação.

A sindicalista explica que “o objetivo do bloco também é mobilizar para garantir que os direitos já adquiridos na profissão docente não sejam usurpados, e para que não haja a desvalorização da profissão, uma vez que o ministro da Educação, Ricardo Vélez, tem proferido declarações e defendido medidas absurdas simpatizadas pelo atual presidente Jair Bolsonaro em relação a educação”, informou.

A presidente do sindicato, professora Elisabeth Castelo Branco, ressalta que a manifestação será importante para mostrar a força e organização da categoria. “Esse bloco de rua é uma forma de manifestação, de chamar a atenção da população. Vamos tomar as ruas da Capital, e fazer ecoar o nosso grito de indignação”, frisou a sindicalista.

ADQUIRA SEU ABADÁ – A aquisição do abadá, confeccionado em lote único, poderá ser feita a partir deste sábado, dia 16, durante a Assembleia Geral Extraordinária, que acontecerá no Auditório do Curso Wellington, Monte Castelo, das 8h30 às 12h. A camisa para sócio custa R$ 15 reais; e para acompanhante, R$ 20 reais.

 

Imprensa Sindeducação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *