Vereadores votam na proposta indecente de Edivaldo Holanda Junior

13529231_1182545915125485_1960911863106901857_n

Os professores da rede pública municipal acompanharam na manhã desta segunda feira, 27 de junho, a votação na Câmara Municipal de São Luís em torno do percentual de reajuste dos servidores do magistério e municipais

Dos 31 vereadores que formam o parlamento, apenas quatro votaram a favor da Educação Pública Municipal – Rose Sales, Marlon Garcia, Manoel Rêgo, e Fábio Câmara. 22 parlamentares escolheram a proposta indecente e indecorosa do prefeito Edivaldo Holanda Junior.

Após deliberação sobre a votação, o percentual de reajuste dos profissionais do magistério ficou 3,5% a ser pago na folha de junho retroativo a janeiro; e 4,9% para o mês de novembro sem retroativo. O percentual de reajuste dos servidores municipais ficou 2% a ser pago na folha de junho retroativo a janeiro. Totalizando os 2% dos servidores municipais, os professores somam 5,5% retroativo a janeiro e 4,9% em novembro.

IMG_6061

A postura do vereador Osmar Filho, na votação, mostrou incapacidade de entender os problemas educacionais. Ele se mostra um parlamentar despreparado para assumir qualquer função ainda mais sendo um representante do povo. Por ser imaturo, o vereador desconhece (ou finge desconhecer a real luta dos trabalhadores da educação) as reivindicações pontuais da categoria que desde 2013 vem sofrendo com os desmandos da gestão de Edivaldo Holanda Junior e de seu secretariado.

A professora Elisabeth Castelo Branco, presidente do Sindeducação, demonstra indignação durante a votação no Parlamento.

FOTO

Educação pública de qualidade

Por uma educação pública de qualidade; reajuste salarial conforme Lei do Piso (11,36%); melhores condições de trabalho. Essas e outras pautas contemplam as reivindicações da categoria de professores da rede pública municipal de São Luís, que permanece em greve há mais de um mês.

O movimento paredista iniciado no dia 25 de maio foi levantado como instrumento de luta da classe em face ao caos que assola o cenário educacional da capital maranhense. Durante todo esse tempo, o gestor da cidade, Edivaldo Holanda Júnior trata a paralisação como um ataque político da classe para “arranhar” a sua candidatura à reeleição, e assim, revalida a técnica da ação versus reação. Ou seja, desde então, ele mostrou a cara e se declarou publicamente inimigo dos professores – os quais tem atacado sordidamente.

Detendo o poder em alguns veículos de comunicação, a manipulação da informação foi a primeira arma de Holanda Júnior para tentar desmoralizar a legitimidade da luta dos docentes.  Com alegações inverídicas, o prefeito disparou para todos os lados que estava aberto ao diálogo e pronto para resolver o impasse com a categoria. Mas, não demorou muito para que o discurso incoerente caísse por terra, afinal, já se passaram 32 dias e nenhuma intencionalidade em manter contato com os educadores foi constatada, pelo contrário, Edivaldo Holanda Júnior permanece resguardado em seu egocentrismo e se mantém alheio a causa.

IMG-20160627-WA0000

Desesperado com a manutenção do movimento paredista, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior parte para estratégia opressiva e tenta intimidar a classe de professores,  impondo multas desnecessárias à direção da entidade sindical e multa pessoal à presidente do Sindicato na pessoa da professora Elisabeth Castelo Branco.

Além de Edivaldo Holanda Júnior, os seus aliados da Câmara Municipal mostraram insensibilidade e imaturidade. Edivaldo Holanda mostrou ser um gestor despreparado e contraditório em suas propagandas inverídicas, veiculando obras que são engodos ou apenas um paliativo tentando enganar a população da capital.

Esses 22 vereadores não estão do lado do povo e muito menos da educação pública. Fiquem atentos a todos eles!

VOTARAM CONTRA A EDUCAÇÃO, CONTRA OS PROFESSORES

Josué Pinheiro (PSDB), Astro de Ogum (PMN), Eidimar Gomes(PSDB)

Osmar Filho (PDT) , Barbara Soeiro (PMN) , Chaguinhas (PP)
Pereirinha (PSL) ,Nato (PRP) ;Paulo Luiz (PRB) ;Chico Carvalho (PSL)
Dr Gutemberg (PSDB) ,Estevão Aragão (PSB), Ivaldo Rodrigues (PDT)
Rômulo Franco (PRB) , Pavão Filho (PDT) ,Edmilson Jansen (PTC)
Jose Joaquim (PSDB) ,Pedro Lucas Fernandes (PTB) ,Luciana Mendes (PP)
Beto Castro (PROS) e Ricardo Diniz (PHS)

AUSENTES:

Prof. Lisboa (PCdoB); Honorato (PT); Barbosa Lages (PDT) ;
Roberto Rocha Jr. (PSB); Armando Costa (PSDC) e Sebastião Albuquerque (DEM)

VOTARAM A FAVOR DA EDUCAÇÃO E DOS PROFESSORES

Rose Sales (PMB); Fabio Câmara (PMDB); Marlon Garcia (PTdoB); Manoel Rego (PTdoB)

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *