Sindeducação apoia luta pelos direitos dos professores do município de Raposa

foto raposa 1

O Sindeducação participou na manhã desta sexta-feira (23.06) de uma reunião na Câmara de Vereadores do município de Raposa que discutiu sobre o reajuste salarial dos professores daquele município.

O problema começou depois que a prefeita do município, Talita Laci (PC do B) deu reajuste salarial de 7,64% somente para os professores com jornada de trabalho de 40 horas/aula, deixando de fora o restante da categoria (20 horas aula). Um outro problema grave é que o reajuste foi concedido sem o projeto de lei do reajuste ter passado pela Câmara de Vereadores de Raposa, ou seja, sem a anuência dos vereadores que garantiram que não votaram nenhum projeto autorizando a reajuste.

“O professor com jornada de trabalho de 40 horas teve o reajuste salarial em janeiro, obedecendo o reajuste nacional do Ministério da Educação e nós, professores de 20 horas, não recebemos nada sob a alegação que estamos recebendo acima do piso, mas nós sabemos que independentemente do valor que você recebe, o reajuste tem que ser concedido para toda a categoria, a prefeita cometeu um erro, ainda mais que a Câmara não autorizou esse reajuste”, disse a professora Socorro.

foto raposa

Na reunião com os vereadores que contou com a participação de vários professores com a jornada de trabalho de 20h do município, a professora Elisabeth Castelo Branco explicou para os vereadores da casa que a Prefeitura de Raposa tinha cometido um erro grave quando reajustou apenas o salário dos professores 40h.

“Estamos falando aqui de isonomia, não podemos reajustar o salário de um professor de 40h e deixar o de 20h de fora, mesmo porque não existem duas categorias. A única diferença é a jornada de trabalho, então o reajuste tem que ser para todos, de forma igual, independente do vencimento de cada um. Isso é um princípio básico que está lá no artigo 5º da Constituição Federal”, ponderou a professora Elisabeth Castelo Branco.

Durante a explanação da Presidente do Sindeducação os vereadores puderam tirar várias dúvidas. Para a Vereadora Professora Eliene (PMDB), “hoje pudemos entender mais sobre o FUNDEB e ter mais conhecimento de causa desse recurso. A câmara está sensível e apesar do entrave que ainda pesa, que é o fato do projeto não ter tramitado na casa, tenho certeza que vai dar tudo certo”, disse a vereadora.

Ao final de toda a discussão, foi proposta a formação de uma comissão de professores para uma reunião que será marcada com a Prefeita de Raposa, Talita Laci, os vereadores e a Procuradoria do Município. Segundo o líder do governo municipal na Câmara de Vereadores, vereador Voney (PT) até a semana que vem essa reunião deverá acontecer.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *