Raposa: Professores repudiam Vereadores que aprovaram Projeto de Lei sem discussão com a categoria

IMG_3921

Os professores da rede municipal de Raposa protestaram na manhã de hoje, 06.10, em frente à Câmara de Vereadores do Município depois que os Vereadores aprovaram, por nove votos a dois, o Projeto de Lei nº 013/2017 do Executivo Municipal que trata sobre o Piso salarial dos Profissionais do Magistério.

Com palavras de ordem, os professores bloquearam a principal via do município e repudiaram a aprovação da Lei que foi imposta de forma unilateral pela Prefeita Talita Lacy (PC do B).

“Procuramos desde março o governo municipal para o diálogo, assim que soubemos do reajuste concedido somente para os professores que tem jornada de 40h, e apesar da resistência em receber a nossa comissão conseguimos apresentar uma contraproposta que eles (executivo e legislativo), não levaram em consideração, isso é uma vergonha”, disse a professora Socorro Rocha.

Votação

Sendo a primeira pauta do dia, a votação do Projeto de Lei 013/2017 foi rápida e sem nenhuma discussão. Dos 11 vereadores da casa, 09 foram a favor do projeto do executivo municipal e dois votaram contra, o vereador Wagner Fernandez (PRB) e Magno da Colônia (PRB).

O projeto de Lei, fixa o piso salarial do professor de Raposa em R$ 1.537,00 e prevê reajuste anual de 4%.

IMG_3911

Durante a sessão os professores que ocuparam toda a tribuna, protestaram, cantaram e expressaram palavras de ordem e repúdio aos vereadores.

“Hoje perdemos essa batalha aqui na Câmara de Vereadores de Raposa, mas ainda não perdemos a guerra e vamos nos organizar para poder enfrentar esse governo e esses vereadores que não representam os professores e não querem uma educação pública municipal de qualidade”, defendeu a professora Rosilene Fonseca.

Contraproposta do Professores

A comissão de professores, com o apoio do Sindeducação apresentou documento à Câmara Municipal de Raposa e a Prefeita, Talita Laci (PC do B), onde continha as propostas da categoria.

A proposta contém quatro itens: a ampliação da jornada de trabalho de todos os servidores do magistério para 40h semanais, desde que os profissionais tenham interesse e disponibilidade de tempo; transformar o quinquênio em anuênio, possibilitando que a cada ano o servidor tenha o acréscimo de 1% sobre o vencimento base; a criação da progressão vertical para os servidores do magistério que foram admitidos como nível médio e hoje já possuem formação superior e como forma alternativa, enquanto não finaliza o impacto financeiro da progressão vertical a comissão propôs, para este ano, a incorporação da gratificação por graduação, abrindo mão do reajuste de 7,64% de 2017. Com a incorporação, o salário dos professores de 20h passaria a ser de R$ 1.921,35, incidindo sobre esse valor as demais gratificações previstas em lei.

Encaminhamentos

IMG_3942

Na terça feira, a Comissão de Professores vai realizar uma Assembleia Geral com os professores do Município de Raposa, onde vai deliberar sobre os próximos passos que a categoria vai tomar na busca pelos direitos. A Assembleia está agendada para o dia 10 de outubro, às 08h, em frente ao Sindicato do Professores e Servidores de Raposa.

“Vamos nos organizar, buscar apoio e chamar todos os professores da Raposa para lutarmos pelos nossos direitos. Não podemos baixar a cabeça e fingir que está tudo bem e hora de ir pra rua, é hora de lutar por valorização e por uma educação pública de qualidade, frisou a professora Elisabeth Castelo Branco”, presidente do Sindeducação.

Professor, a sua participação é fundamental no processo de conquista, venha e contribua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *