Professores aprovam prestação de contas de 2017 do Sindeducação

Em Assembleia Geral Ordinária, os professores filiados ao Sindeducação aprovaram, por 100%, a prestação de contas de 2017 realizada na manhã desta quarta-feira, 13, no auditório Zenira Fiquene, Faculdade Pitágoras. A análise contábil compreende o exercício financeiro de janeiro a dezembro de 2017 da gestão Resistir, lutar e Avançar nas Conquistas.

Comporam a mesa de trabalho: a presidente do sindicato, profª Elisabeth Castelo Branco, a 1ª Tesoureira, profª Izabel Cristina Pinto Dias, a presidente, a vice-presidente e a 3º titular do conselho fiscal, a saber, as professoras Bernadete Silva, Silvia Lilia Veras e Edylene Pereira Santos Silva, respectivamente, o assessor jurídico, Antônio Carlos Araújo e o assessor contábil, Antônio Uchôa Frazão.

A presidente do Sindeducação, Profª Elisabeth Ribeiro Castelo Branco, abriu a assembleia fazendo uma explanação sobre o sistema de administração dos recursos e das ações políticas da entidade sindical. A diretoria apresentou as ações jurídicas, pedagógicas, culturais e administrativas da entidade sindical realizadas durante o ano de 2017, elencando as atividades oriundas de cada secretaria.

A presidente do Sindeducação, profª Elisabeth Castelo Branco, aproveitou o momento para falar sobre a retirada do imposto sindical. “Sem a receita do imposto sindical, a instituição terá que ter ainda mais cautela no planejamento orçamentário anual, repensando algumas ações e, principalmente, no sentido de priorizar os filiados da entidade sindical. Agora é inviável contemplar toda a categoria, visto que a entidade é mantida pela contribuição dos associados. O que a classe trabalhadora não entendeu é que, com a descapitalização dos sindicatos, quem se beneficia são os políticos, o governo, porque se trata de um golpe com o intuito de fragilizar e destruir as representações de classe e, com isso, calar a voz dos trabalhadores que, sem seus sindicatos e com a reforma trabalhista em plena vigência, sofrerão na chibata dos patrões”, enfatizou.

O assessor contábil, Uchôa, apresentou planilha do balanço financeiro de 2017, com a descriminação das fontes de receitas e das despesas do sindicato, explicando cada item para entendimento da categoria. Foi destacado, ainda, a avaliação do exercício financeiro como positiva, visto que, “apesar dos gastos, fora gerado superávit de R$ 143.857,09 (Cento e quarenta e três mil, oitocentos e cinquenta e sete reais e nove centavos) para o orçamento da instituição”, disse o contador.

Em seguida, foram chamados os membros do Conselho Fiscal, responsáveis pela análise das contas e emissão de relatório. A presidente do Conselho Fiscal, Bernardete Silva, explicou que os conselheiros se reúnem a cada dois meses para fazer o acompanhamento das prestações de contas mensais e fazer as recomendações necessárias. Depois de explicar como funciona a análise das contas, das notas fiscais, dos recibos, dos extratos bancários e dos demais documentos que compõem o balanço, ela leu o relatório de considerações e recomendações pertinentes ao setor financeiro, depois o parecer anual, deferindo a aprovação das contas.

A 1ª tesoureira, Profª. Izabel Dias, então, abriu espaço para perguntas e para quem quisesse esclarecer dúvidas sobre as contas. Não havendo mais dúvidas, o parecer foi colocado em votação e aprovado pelos presentes, sendo registradas duas abstenções e nenhum voto contrário. Todo o processo foi realizado de forma democrática e transparente.

A diretoria ressaltou o trabalho rigoroso do conselho fiscal, reafirmando o compromisso em atender a todas as recomendações pertinentes explícitas pelos conselheiros, no entendimento de que as observações foram indicadas em prol da melhoria do Sindeducação.

A presidente, Elisabeth Castelo Branco, encerrou a assembleia, dizendo que uma das maiores preocupações da direção é agir com transparência e o máximo de responsabilidade ao administrar os recursos de contribuições dos filiados.  “Vamos permanecer com o nosso compromisso, empregar os recursos do sindicato de forma ética e transparente, valorizando e buscando o melhor para os nossos associados!”, afirmou a presidente.

Documentações:

Balancete 2017 

Parecer do Conselho Fiscal

 

ASCOM/ Amanda Aguiar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *