Prédio da UEB Darcy Ribeiro corre risco de desabamento

Professora Elisabeth Castelo Branco conversa com educadores da UEB Darcy Ribeiro sobre a situação da escola

A presidente do Sindeducação, profª Elisabeth Castelo Branco, se reuniu na manhã desta terça-feira, 6/11, com os professores da UEB Darcy Ribeiro, localizada na Avenida dos Africanos, no bairro do Sacavém, após receber denúncia sobre a gravidade dos problemas estruturais do prédio escolar.

Durante o encontro, os professores relataram que a estrutura do local está comprometida. Partes do piso e paredes apresentam rachaduras, há infiltração com alto fluxo de água pelos corredores e os forros das salas de aula oferecem risco de desabamento, problema este que já ocorreu no mês de março de 2017, quando o teto de uma das salas de aula desabou durante o horário de aula, deixando alunos e uma professora do 1º ano do ensino fundamental feridos.

Infiltrações nas paredes fazem água escorrer pelos corredores

A Defesa Civil vistoriou a unidade de ensino nos dias 2 e 3 de agosto deste ano, solicitando a interdição imediata da quadra esportiva da UEB. Na avaliação da escola, o laudo recomendou medidas corretivas, as quais não foram atendidas pela Secretaria Municipal de Educação. Contudo, a situação vem se agravando e colocando em risco de vida professores, alunos e funcionários do local.

Diante da situação, o Sindeducação fez a devida orientação aos professores e encaminhou um ofício solicitando ao Ministério Público do Estado as providências necessárias e exigiu uma vistoria da Defesa Civil à escola em caráter de urgência.

O clima de medo e tensão tomou conta da unidade de ensino. Além do perigo iminente, os educadores estão sob forte pressão da comunidade, que não aceita o fechamento da escola. Durante a manhã, uma confusão se formou na frente da UEB e foi necessária a intervenção da polícia para a retomada da ordem pública.

Segundo os professores, até o momento, a Semed não se pronunciou sobre o caso.

“Estamos preocupados, angustiados, há muito tempo! Não temos água, o abastecimento é feito por meio de carro pipa, mas não supre a necessidade da escola. Somos cobrados pela comunidade por responsabilidades que são da Semed, e não são cumpridas. A nossa situação aqui está muito difícil, e tememos pela nossa vida e dos alunos!”, lamentou uma professora, que preferiu não se identificar.

A UEB Darcy Ribeiro carrega um histórico de problemas ao logo desses anos. Em 2016, a escola foi alvo de incêndio criminoso e, em 2017, o teto de uma sala desabou. Logo após a reforma, o prédio voltou a apresentar uma série de complicações. O Sindeducação alertou, na época, que os serviços realizados foram apenas um paliativo e que não iria atender à necessidade de uma reforma completa.

“Nós dissemos, desde 2015, que a UEB Darcy Ribeiro corria risco de desabamento, principalmente na área da quadra esportiva. Mesmos com o incidente ocorrido em 2017, a estrutura da escola não passou por uma ampla reforma, e os problemas começaram a ressurgir em questão de dias. A entidade sindical já denunciou várias vezes, já pediu ao MP apuração de responsabilidades, para que o governo municipal agisse de forma efetiva. E, agora, em 2018, os riscos voltam a surgir. Quando esse governo passará a tratar a educação com seriedade e responsabilidade? Será necessário haver algo ainda mais grave para o município de São Luís agir? O sindicato buscará todos os órgãos públicos que possam atuar diante desse caos instaurado na rede pública de São Luís!”, frisou a presidente, Elisabeth Castelo Branco.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *