No dia 7 de outubro, vote consciente!

As eleições acontecerão neste domingo, dia 7 de outubro, dia no qual o Maranhão, o Brasil, escolherão os seus representantes, aqueles que ocuparão cargos nos poderes executivo e legislativo com a prerrogativa de fazer e executar Leis, bem como a de empreender políticas públicas para promover o bem-estar social dos cidadãos.

“O voto é um ato democrático, que devemos exercer de forma responsável, e, consciente de que as nossas escolhas são determinantes para as nossas vidas, para o que almejamos conquistar e construir enquanto cidadãos”, destacou a presidente do sindicato, profª Elisabeth Castelo Branco.

O Brasil atravessa uma crise de identidade política, acirrada por uma série de escândalos de corrupção, retirada de direitos sociais e trabalhistas e a banalização da Lei e da democracia.  O país, que pede ordem e progresso em sua bandeira, enfrenta, hoje, a desordem e um retrocesso histórico.

Fique de olho!

O período eleitoral é movido pela divulgação da imagem dos candidatos, em que é intensificada a propagação das “ações” já realizadas no exercício da função – isso para os políticos que tentam a reeleição – e os planos de governos para o (novo) mandato. Esse momento também é cheio de “magia”, pois, como num passe de mágica, os serviços públicos – que deveriam ser realizados ao longo da vigência do cargo público – começam a aparecer. Em uma celeridade impressionante, as ruas e avenidas são asfaltadas, as praças dos bairros revitalizadas, escolas são climatizadas, o transporte melhora, a segurança aumenta, os políticos saem de seus confortáveis gabinetes e peregrinam pelas comunidades mais carentes, feiras e áreas populares, deputados federais, de repente, aparecem no Maranhão. Esses são fatos de uma narrativa real, em que o cidadão precisa assumir o protagonismo e mudar o rumo dessa história.

“A realidade é que o povo está sem representação, sem vez e voz. E, este ano, temos novamente a chance de mudar o nosso futuro, elegendo políticos comprometidos, responsáveis, que trabalhem em prol dos interesses da sociedade”, disse a profª Elisabeth.

Vale a pena relembrar

Em um ano (2017), parlamentares federais em conluio com o presidente golpista, Michel Temer, promoveram uma onda de massacre aos direitos da classe operária do Brasil, aprovando o fim das principais garantias estabelecidas pela CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas. Retirou o imposto sindical no intuito de enfraquecer a luta de classe; congelou investimentos por 20 anos nas áreas da educação e saúde, que são serviços já ofertados de forma precária.

Ainda tramita a posposta de aprovação da reforma da previdência, que prevê mudanças severas na aposentadoria. A votação foi adiada, e será retomada no próximo ano, e a depender dos políticos eleitos, mais um golpe poderá se concretizar.

“O eleitor precisa se informar sobre a vida pregressa dos candidatos, assim como ter conhecimento do trabalho desenvolvido pelos políticos que tentam a reeleição. É necessário avaliarmos bem as nossas decisões nesse momento, pois o nosso futuro depende de escolhas certas”, frisou a presidente do Sindeducação.

Votaram a favor da Reforma Trabalhista os deputados:

Waldir Maranhão (PP), José Reinaldo Tavares (PSB), Júnior Marreca (PEN), Victor Mendes (PSD), Juscelino Filho (DEM), Cléber Verde (PRB), Pedro Fernandes (PTB), André Fufuca (PP), Aluísio Mendes (PTN), João Marcelo (PMDB), Alberto Filho (PMDB) e Hildo Rocha (PMDB).

Votaram a favor da Reforma Trabalhista os senadores:

Edison Lobão (PMDB-MA), João Alberto Souza (PMDB-MA), Roberto Rocha (PSB-MA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *