JORNADA | Professores da UEB Tiradentes são submetidos à sobrecarga de trabalho

Sindeducação dialoga com professoras da UEB Tiradentes.

Número insuficiente de professores tem ocasionado sobrecarga de trabalho aos educadores que atuam na UEB Tiradentes, Vila Maranhão. O Sindeducação foi acionado e reuniu com os profissionais daquela escola para tratar do direito a 1/3 de hora atividade, garantido pela Lei Federal n° 11.738/2008, tempo em que o professor planeja as aulas a serem lecionadas e aperfeiçoa a prática pedagógica.

Com o percentual reduzido de professores, há uma sobrecarga de trabalho para os poucos educadores lotados na escola. A situação poderia ser resolvida se a Prefeitura de São Luís convocasse pelo menos parte dos 822 professores aprovados no último Concurso Público. O deficit da Rede de Ensino, segundo o Sindeducação, atinge 1.500 vagas.

A dirigente sindical, Nathália Karoline, explica que a jornada de trabalho do professor é composta em dois terços de carga horária que devem ser cumpridos em sala de aula; e o outro um terço restante, para atividades pedagógicas extraclasse, para planejamento e aperfeiçoamento da prática pedagógica. “Nessa visita, constatamos a realidade da sobrecarga de trabalho para os educadores dessa escola. Lamentável é ter quase 800 aprovados no concurso público aguardando a convocação da Prefeitura, e nada até agora”, frisou.

Sindicato entregou o Manual de Postura do Funcional do Professor, que trata de diversos direitos e deveres dos educadores.

O HPTC – Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo é uma conquista garantida pela Lei Nacional do Piso, pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB (9.394/1996), e previsto na Lei Municipal 4.931/2008 – Estatuto do Magistério. “O acúmulo de horas trabalhadas resulta diretamente na redução do rendimento escolar tanto de educadores, quanto de alunos”, relatou diretora.

Lembrando que o último concurso da Prefeitura de São Luís para professores expira no mês de junho. O Sindeducação já cobrou várias vezes celeridade para que a SEMED resolvesse a carência de professores na rede municipal e efetivar a lotação de concursados para todas as vacâncias da rede, o mais rápido possível.

Há sobrecarga de trabalho na UEB Tiradentes.

Para tentar reduzir os impactos desse problema, e não atingir mais ainda os alunos, os professores da unidade fizeram uma divisão de horários, mas aguardam posicionamento da SEMED para a resolução definitiva e legal do problema. “Nós acabamos nos sacrificando para tentar salvar o ano letivo dos alunos, mas está muito difícil com a quantidade reduzida de professores que somos”, lamentou uma das educadoras da escola.

Recentemente a Direção do Sindeducação esteve reunida com o promotor de Justiça, Paulo Avelar, para tratar da convocação dos aprovados no último concurso, frente às promessas vazias e o descaso da Secretaria de Educação com mais esse problema. O promotor informou que protocolaria pedido de prorrogação da validade desse concurso, previsto para expirar no próximo mês de junho. “Existe uma ação na Justiça cobrando da Prefeitura a convocação dos aprovados”, lembrou.

Segundo a professora Izabel Cristina, tesoureira do Sindeducação, enquanto a Prefeitura não convoca os concursados, os professores vão fazendo o que podem para não deixar os alunos sem aula, mesmo sacrificando o planejamento, e absorvendo uma enorme sobrecarga de trabalho. “Imagina uma sobrecarga de trabalho dentro de uma escola sem infraestrutura alguma?”, indagou a sindicalista.

Fachada da UEB Tiradentes, na Vila Maranhão.

Situação de infraestrutura da escola é regular.

Imprensa Sindeducação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *