FELIZ ANO NOVO | Em 2019, ninguém solta a mão de ninguém!

Vivemos um presente marcado pelo passado, que já desvenda um futuro difícil para a nação brasileira. O país de grandes riquezas, cobiçadas por todo o mundo, levanta em sua bandeira nacional palavras fortes e esperançosas para o seu povo: ORDEM E PROGRESSO, porém, só existem no ideal, pois no real, o Brasil está imerso na desordem e retrocesso!

Desde 2016, a nação vem acompanhando o desenrolar de um enredo fatídico para a democracia, justiça social, igualdade, direitos sociais e trabalhistas, dentre outros. Não precisou de muito tempo para perdermos direitos históricos conquistados à custa do suor e sangue de muitos companheiros, que por décadas lutaram. A Reforma Trabalhista, a Terceirização e o congelamento dos gastos com educação e saúde são apenas a ponta de um projeto idealizado por partidos políticos que defendem os interesses das classes mais favorecidas, com o intuito de massacrar os trabalhadores e trabalhadoras do país. Não tivemos vez, nem voz, nem representação! Todos os projetos foram aprovados por quem colocamos na esfera do poder legislativo em favor do povo, mas, na verdade, fomos traídos!

2019, poderia ser um ano de esperança, de levantar a bandeira e retomar os nossos direitos retirados. Mas, o povo escolheu um representante (partido) – que, mesmo antes de assumir, já mostrou para quem vai governar – com uma linha partidária ultranacionalista, idealizadora de uma política conservadora e voltada para o neoliberalismo, que se fortaleceu no discurso de ódio. E uma das suas primeiras deliberações prejudiciais à classe trabalhadora foi a extinção do Ministério do Trabalho, além de ser um dos fomentadores do projeto “Escola sem Partido”, que é mais uma via de ataque ao profissional do magistério, com o objetivo de calar o professor e impedir o acesso de crianças e adolescentes à educação de qualidade.

O Sindeducação não é partidário, é unilateral na defesa dos profissionais do magistério e de uma educação pública de qualidade, assim como fortalece o movimento sindical em prol do direito de toda a classe trabalhadora. Diante disso, não aceitamos a projeção de um modelo educacional arcaico, sem exploração de ideias e sem a construção do pensamento crítico, bem como reagiremos irmanado aos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil contra a retirada de direitos.

A nossa luta na capital maranhense também continua acirrada. São dois anos sem reajustes, lutando contra a intransigência de um prefeito que já nasceu no seio da classe rica e não conhece a realidade da pobreza e, tão pouco, se importa com a educação de São Luís! Para o chefe do executivo, a prioridade é investir na revitalização de praças, ruas e pontos culturais, enquanto a educação continua agonizando, com várias escolas em situação precária, sem professores suficientes, sem o suporte de material didático e pedagógico e tantas outras problemáticas!

O novo ano está chegando e o Sindeducação chama os professores para a reflexão sobre a atual conjuntura, em que precisamos reagir, com propósito, com força, com sentimento de classe para combater e lutar pelos nossos direitos, pela sobrevivência da nossa profissão, tanto social como financeira!

Em 2019, temos várias pautas de luta e precisamos de todos para esse embate! Nós, professores, e outras categorias, temos que estar unidos e organizados para não perdermos todos os nossos direitos!

O Sindeducação deseja um Ano Novo de força, ousadia e resistência! Vamos à luta!

A Diretoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *