Escola sem Mordaça: Sindeducação participa de reunião com vereadores e volta a defender o arquivamento do PL 113/07

19f8f36c-4c9c-48fe-9812-bdcb3e38929d

O Sindeducação, juntamente com a frente de luta Escola Sem Mordaça, participou, na manhã desta terça-feira, 12, de uma reunião na Câmara Municipal de São Luís, para dialogar sobre as consequências da aprovação do PL 113/07 (Escola sem Partido).

Representando o parlamento, estiveram presentes, os vereadores, Raimundo Penha, Sá Marques, Ricardo Diniz, e por último se uniu ao grupo o propositor do PL, Chico Carvalho. Os representantes do movimento contra o projeto expuseram vários equívocos contidos na matéria, bem como as contravenções aos direitos fundamentais de uma sociedade constituída como Estado Democrático de Direito.

Além dos contundentes argumentos, que demonstram a fragilidade da matéria, o grupo solicitou que, em respeito à democracia e ao que rege o parágrafo único do artigo 1º da Constituição Federal “Todo poder emana do povo”, o tema possa ser aprofundado e pontualmente discutido antes de integrar a pauta de votação.

c19c8aad-3cd5-4373-9b67-c2810011696b

A presidente do Sindeducação, professora Elisabeth Castelo Branco, se posicionou com firmeza em defesa da Escola sem Mordaça. “Não há como construir aprendizado, seja nas escolas e nas universidades, sem a pluralidade de conhecimento, sem a liberdade para o debate em sala de aula; é necessário entendermos que esse assunto é muito sério e representa perigo para o desenvolvimento do país. E, lamentavelmente, os vereadores que são favoráveis ao PL não leram ou não entenderam as particularidades do texto, ou seja, estão conceituando a matéria como algo em defesa da família; nós, que estamos aqui, também defendemos a família, mas nós defendemos todas as famílias. Os parlamentares precisam ler, entender o conteúdo e arquivar esse ataque à educação”, pontuou.

Contrário aos outros vereadores, o parlamentar Ricardo Diniz (PCdoB) demonstrou simpatia pela proposta, causando uma incógnita em todos, pois o mesmo é de uma linha partidária que não aprova o projeto.

Desrespeito
O vereador Chico Carvalho se incomodou com a presença da líder sindical e a atacou de forma desrespeitosa, uma vez que a representante dos professores também é uma cidadã que arca com suas responsabilidades e ele é um representante do povo. O mesmo afirmou que não irá retirar o projeto e se manterá firme em sua defesa.

A frente Escola Sem Mordaça se manterá organizada e mobilizada na luta por uma educação libertadora, que gera seres críticos e detentores da pluralidade de conhecimento.

#escolasemmordaça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *